Goiânia: Presidente da CMTC afirma que o transporte público está em decadência

O presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo de Goiânia (CMTC), Fernando Meireles, usou a palavra durante a audiência pública que discute o papel da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) e da Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC). Ele é um dos participantes do debate, na manhã desta quinta-feira, 14.

Meireles começou sua fala ressaltando que uma nova legislatura está sendo iniciada e que novas oportunidades de melhorias foram renovadas. ‘‘Quando a CMTC foi criada, os municípios deveriam ter uma cota no transporte coletivo, isso não foi feito e é de extrema importância que isso aconteça. É preciso que os municípios façam parte de fato desse assunto."

Lembrou o presidente da CMTC que milhares de pessoas usam o transporte coletivo para trabalhar, estudar e até para o lazer. "Existem benefícios, e quem paga é a população, e deve ser melhor esclarecido sobre quem realmente precisa deles. Qual tipo de idoso pode ter acesso? O que tem mais de uma pensão ou duas?’’, indagou Meireles.

"Há vidas dentro do transporte público"

O presidente disse que é necessário que o problema seja tratado com urgência, pois, de acordo com ele, o transporte público está em total decadência, por isso a população não vai querer usar o serviço público e buscará outras formas de transporte, como o carro. ‘‘A gente deve tratar o transporte público com a devida importância que ele dever ter, vidas estão dentro dele. Além de trazer os municípios para o assunto, também devemos discutir a questão dos corredores de ônibus’’, ressaltou.

Fonte: Assembleia Legislativa do Estado de Goiás