DF: Projeto da Via Transbrasília deve estar pronto no segundo semestre

Por Rafael Martins

Com nenhuma empresa habilitada para elaborar os estudos da Transbrasília, conforme o Pense Mobilidade mostrou na última sexta-feira (18), o Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas do Governo do Distrito Federal estima que até agosto deste ano o projeto da via estará concluído e pronto para ser licitado.

A Transbrasília será construída por meio de parceria público-privada (PPP), já que na visão do Palácio do Buriti, com a exploração de empreendimentos feitos ao longo da via, a iniciativa privada terá a possibilidade de erguer conjuntos habitacionais, centros comerciais, estacionamentos, entre outros, e lucrar com eles. A consequente criação de emprego e renda nas regiões administrativas pela qual a via passará promoverá a descentralização das atividades econômicas do Plano Piloto, reduzindo assim o fluxo pendular e os congestionamentos para a principal centralidade do DF.

Trata-se de um importante eixo viário previsto no Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT/2009) que surge como alternativa de articulação entre as centralidades urbanas do vetor oeste e o Plano Piloto (centralidade principal), reduzindo o tempo de deslocamento e melhorando o fluxo de veículos na Estrada Parque Taguatinga – EPTG e Estrada Parque Núcleo Bandeirante - EPNB, além de permitir a integração entre espaços urbanos segregados, ora pela linha de alta tensão de Furnas e CEB, ora pela via do metrô de Brasília, tendo por objetivo central promover a “costura” das áreas já urbanizadas e dos parques existentes na região.

A configuração da Transbrasília como novo eixo de desenvolvimento urbano do Distrito Federal consolida-se mediante a intensificação da ocupação do espaço lindeiro com incentivos para a produção de habitação de interesse social, implantação de centros empresariais, atividades de comércio de bens e serviços associados à habitação, além de dotar a via urbana faixas preferenciais para transporte coletivo - que atenderá a demanda interna e integrará, prioritariamente, as localidades na sua área de abrangência; ciclovias, facilitando a integração com o metrô e o acesso a parques.

Nova Saída Norte

A reunião do Conselho versou também sobre o eixo viário denominado Nova Saída Norte, em que não haverá alteração do modelo inicialmente proposto e já aprovado, cuja publicação do edital depende de autorização ambiental do IBRAM.

O projeto da Nova Saída Norte está previsto no Plano Diretor de Transporte Urbano (PDTU), com a finalidade de abarcar sistema de transporte em faixas exclusivas para ônibus, que atenderá as Regiões Administrativas de Brasília, Lago Norte, Setor Habitacional Taquari, Sobradinho, Planaltina e a cidade de Planaltina de Goiás mediante sistema integrado.


São 68,8 quilômetros de extensão. O projeto ainda define a criação de outro terminal, na região de Mestre d’Armas, em Planaltina, e a colocação de uma estação do Expresso Norte nos terminais de Planaltina e de Sobradinho I e na Rodoviária do Plano Piloto.

O Conselho debateu também outras formas de PPP, como a construção de estacionamentos públicos, adotando modelos experimentais em locais com transporte público estruturado e integrado.