DF: Relatório do TCDF aponta que Rodoviária do Plano Piloto necessita de manutenção urgente

Rodoviária do Plano Piloto
Por Rafael Martins

Relatório publicado ontem (19) pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) revela que edificações, pontes e viadutos vistoriados em 2011 continuam com defeitos graves - incluindo a Rodoviária do Plano Piloto.

Na inspeção realizada no maior terminal de ônibus do Distrito Federal, os técnicos do TCDF encontraram escadas rolantes desativadas, descolamento das placas de revestimento das paredes, problemas estruturais no teto como ausência de forro e instalações expostas. Na avaliação da Corte, o piso está desgastado, com deformações, trincas e e a tampa da caixa de passagem quebrada.

O relatório, todavia, faz uma ressalva de que no dia da vistoria encontrou a Rodoviária em obras; citando a existência do Contrato nº 128/2017 assinado entre a Novacap e a Concrepoxi Engenharia, em que o objeto contratual são as obras de requalificação da área interna do terminal, recuperação das plataformas e demais adequações conforme as normas de acessibilidade vigentes.


A Rodoviária foi vistoriada novamente em 2012, em que constatou-se que o terminal precisava de reparos e manutenções urgentes em suas instalações. Este ano, apesar das obras de requalificação, ainda permanece a recomendação de intervenções imediatas em sua estrutura. 

No que tange a todas as obras vistoriadas pelo Tribunal, o GDF apresentou à Corte um plano de conservação e manutenção a ser adotado pelo DER/DF e pela Novacap. A documentação encaminhada pelo GDF está em análise pelo corpo técnico da Corte, que avalia a adequação técnica desse plano.

Término da reforma da Rodoviária do Plano Piloto está previsto para 2019

"A Rodoviária do Plano Piloto estará de cara nova até o fim de 2010". Era com esta frase de otimismo em 2009 que o Governo do Distrito Federal previa entregar totalmente revitalizado o maior terminal de ônibus da capital. Inaugurada em 12 de setembro de 1960, a última grande reforma na Rodoviária deu-se em 1998.

Monumento tombado e parte integrante do patrimônio da humanidade, a Rodoviária do Plano Piloto foi projetada para atender a um público de 50 mil pessoas por dia. Hoje, por ela transitam, diariamente, mais de 700 mil pessoas.

Um edital para reforma foi até lançado em 2009, mas por conta do projeto não atender as normas de acessibilidade e nem seguir as normas do tombamento, foi anulado. A previsão para a restauração geral da Rodoviária ficou então para 2012, mas apenas as escadas rolantes e os elevadores foram trocados neste prazo. A troca das escadas custou R$ 4,5 milhões, os elevadores custaram R$ 1,13 milhão.

Visando preparar a Rodoviária para a Copa do Mundo de 2014, o local recebeu novas intervenções, mas pouco antes do início do Mundial o GDF encerrou o serviço e a reforma ficou incompleta. Ao todo foram investidos R$ 8 milhões. Novas escadas rolantes e elevadores, reforma de banheiros, instalação de fraldários, limpeza de mármores com direito a verniz antipichação e novas instalações para embarque e desembarque foram as mudanças implementadas.

A promessa era retomar as obras depois da Copa, o que não acabou acontecendo. Em 2016 a Plataforma E recebeu intervenções, porém somente uma parte da revitalização foi entregue. A empresa responsável pelas obras teve problemas, e somente em dezembro do ano passado a reforma foi retomada.

As intervenções nas plataformas obedecem as novas normas de acessibilidade e engenharia, como o pavimento de concreto armado nas baias, troca total do piso na área de circulação dos passageiros, instalação de piso tátil para deficientes visuais e rampas nos acessos do terminal. Toda a parte elétrica e hidráulica também está sendo trocada.

Ainda assim há queixas como a conservação dos banheiros, escadas rolantes e elevadores. Segundo a administração da Rodoviária, o elevado índice de vandalismo impede que tais equipamentos sejam recuperados em tempo hábil para uso da população, mesmo com contratos terceirizados para a manutenção.

Parte da Plataforma D e E atualmente estão em obras. Os embarques das linhas que ali partiam foram realocados em outras plataformas do terminal. De acordo com a Novacap, as obras em toda a Rodoviária do Plano Piloto devem acabar somente em abril de 2019. A reforma deve custar aos cofres do GDF cerca de R$ 30 milhões.