DF: Plataformas da Rodoviária do Plano Piloto serão liberadas até quarta-feira (7)

Os espaços da Rodoviária de Brasília que foram interditados devido ao rompimento de cabos de proteção de uma viga, em 10 de outubro, serão liberados até quarta-feira (7). O presidente da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), Júlio Menegotto, anunciou a liberação na tarde desta quinta-feira (1º), junto com o diretor-geral do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), Marcos Tadeu.

Segundo Menegotto, a viga está com funcionamento superior às normas de segurança. “Achávamos que ela tinha 50 cabos de proteção na estrutura, mas tem 112. E o concreto está 20% acima da resistência mínima. Muito mais que o necessário.”

O dano ocorreu quando uma operadora de telefonia instalava antena de internet no local. No dia, a Novacap, o DFTrans e a Defesa Civil interditaram o espaço ao redor e retiraram os veículos da plataforma acima.

Parte superior ficou interditada por precaução

Em menos de 24 horas, os órgãos definiram que não havia perigo e liberaram o espaço inferior. O superior permaneceu interditado para diminuir a carga sustentada pela viga, enquanto os estudos necessários eram feitos.

Um engenheiro contratado pela empresa de telefonia apresentou um laudo técnico para a Novacap, que foi avaliado por uma equipe especializada da companhia.

Eles fizeram ensaios de concreto e pesquisaram a documentação da época da construção dos terminais rodoviários para constatar que a estrutura não apresenta risco à população, nem de colapso.

A Defesa Civil está de acordo com a liberação do estacionamento e das quatro linhas do BRT sustentados pela viga. Na segunda-feira (5), o laudo será encaminhado formalmente.

O diretor-geral do DFTrans especificou que, uma vez que o espaço superior esteja liberado, as linhas 620.1 e 0.620 de Planaltina; 220.2 de Santa Maria; e 230.2 do Gama voltarão a circular nas plataformas da Rodoviária como faziam antes do acidente.

Recuperação da viga leva uma semana, no máximo

De acordo com Menegotto, a recuperação da estrutura da viga é simples e deve ser rápida. “Ela fica pronta em, no máximo, uma semana. Basta preencher o rombo com um concreto altamente adensável chamado grout.”

Todas as despesas serão da empresa de telefonia que provocou o dano. Os órgãos públicos participam para supervisionar e garantir que o processo de recuperação seja seguro.

A empresa foi notificada pela Defesa Civil e caberá à Procuradoria-Geral do DF entrar com ação. “Isso vale de advertência para todas as empresas quando fizerem alterações em áreas públicas”, alertou Menegotto.

Fonte: Agência Brasília