Entorno DF: Onda de insegurança atormenta usuários do transporte semiurbano, e ANTT deve chamar empresas para discutir soluções para o problema

Taguatur - 05631
Por Rafael Martins

A onda de assaltos a ônibus semiurbanos que ligam as cidades goianas circunvizinhas ao DF já são a terceira maior causa de reclamações à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O ranking foi divulgado ontem pela TV Globo, após um assaltante ser morto por um policial militar à paisana na última sexta-feira (3) numa tentativa de roubo a ônibus que seguia de Santo Antônio do Descoberto para Taguatinga.

Um levantamento feito em 2017 pela ANTT e Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostrou que as BRs-060, 070 e 040 aparecem entre as mais visadas pelos bandidos, sendo que a primeira é líder em número de ocorrências de roubo a coletivos. Sem hora do dia para praticar os delitos, os criminosos escolhem, quase sempre, os trechos mais distantes de policiamento para os ataques armados.

Atualmente há pelo menos 13 postos rodoviários no DF e Entorno. Seis deles da Polícia Rodoviária Federal (PRF): um na BR-020, que liga Brasília a Formosa (GO); um na BR-040, sentido Santa Maria; outro na 050, sentido Catalão (GO); e mais três nas BRs 060, 070 e 080, que ligam a Goiás.

A PRF, no entanto, diz que muitas vezes não é notificada sobre os assaltos a ônibus, e que isso dificulta o combate ao problema e as abordagens direcionadas aos ônibus. Todavia, as ocorrências são repassadas à ANTT pelas empresas. A legislação obriga que elas informem o registro de acidentes e assaltos envolvendo serviços de transporte rodoviário interestadual de passageiros.

À TV Globo, a ANTT disse que deve convocar em regime de urgência as empresas que operam as linhas do Entorno para discutir medidas de segurança aos passageiros como a instalação de câmeras de videomonitoramento a bordo dos veículos.

Algumas destas empresas já anteciparam a instalação dos equipamentos de segurança. Em Planaltina de Goiás, a Viação Expresso Brasília investiu cerca de R$ 500 mil num sistema de videomonitoramento. Por ônibus são quatro câmeras distribuídas na frontal do veículo, em frente ao motorista e cobrador e a última que capta imagens de todo o interior do ônibus. 

Segundo a Viação Expresso, dos 110 ônibus que operam nas linhas entre o DF e Planaltina de Goiás, 50 já contam com o equipamento de vigilância. A empresa registrou, de janeiro a junho deste ano, uma média de um assalto por dia.