DF: Paralisação dos rodoviários da Urbi pega passageiros de surpresa na manhã desta segunda (07)

Garagem Urbi Samambaia
Por Rafael Martins

Rodoviários da Urbi, empresa responsável pelo transporte no Núcleo Bandeirante, Samambaia, Recanto das Emas e Riacho Fundo 1 e 2, fizeram uma paralisação relâmpago na manhã desta segunda-feira (07).

Motoristas e cobradores cruzaram os braços desde às 5h. Segundo a Urbi, o motivo foi o atraso do pagamento do plano de saúde dos funcionários devido a inadimplência do GDF junto à empresa, que ultrapassa a quantia de R$ 35 milhões, montante acumulado de 2015 a 2018.

Para honrar o compromisso com os funcionários, a Urbi disse que teve de recorrer a empréstimos bancários. Em nota ao Metrópoles, o DFTrans informou que na última quinta (3) fez um repasse de R$ 3,9 milhões à empresa, referente aos subsídios/gratuidades (Estudantil e Pessoas com Deficiência) e complemento tarifário.

“Já o repasse dos valores de Vale-Transporte e Cidadão é feito diariamente e está em dia. A autarquia esclarece, ainda, que a dívida total referente aos Exercícios Anteriores, de 2015 a 2017, com a Urbi era de R$ 29,8 milhões, sendo que R$ 15 milhões dessa dívida foram pagos em 2018”, explicou ao Metrópoles. 


Com a paralisação, os usuários recorreram ao metrô, que ficou lotado, e aos ônibus de outras empresas que operam linhas compartilhadas com a Urbi.

A operação foi regularizada a partir de 6h20 da manhã com a saída dos ônibus das duas garagens, do Recanto das Emas e Samambaia.