Anápolis: Linhas do Daia representam 25% do sistema de transporte coletivo

Urban - 81001
Por Rafael Martins

As linhas que atendem o Distrito Agroindustrial de Anápolis correspondem a 25% do sistema de transporte coletivo. As características operacionais do subsistema Daia são distintas do restante do sistema, em função do próprio funcionamento do distrito, que pode ser dividido em dois grupos: as linhas diretas e as linhas Terminal.

As linhas diretas permitem que os principais bairros tenham acesso direto ao Daia nos horários de pico, sem passar pelo Terminal Urbano. São linhas caracterizadas por um elevado nível de pendularidade, que faz com que os polos atratores de viagens recebam ônibus cheios no pico, mas obriga estes ônibus a voltarem aos seus pontos de origem quase que sem passageiros.


As linhas Terminal possibilitam o acesso ao Daia em qualquer horário do dia. É composto por uma linha estrutural (018) com atendimento contínuo, e linhas com frequências mínimas mais adequadas às demandas de passageiros.


A demanda do subsistema Daia também difere-se do restante do sistema, em que chama-se a atenção do elevado nível de pendularidade, apresentando picos bem marcados das 5h às 6h e das 16h às 17h. Nos horários de entrepico, a demanda retrai até 80%, com acréscimo significativo no número de passageiros das 12h às 13h - porém 55% menor se comparado aos horários de pico.

Até o primeiro semestre de 2016, o subsistema Daia apresentava um excesso de linhas sobrepostas. Isto porque alguns ônibus faziam a rota até os Trilhos, e outros mais adiante até a Hyundai. Com a reorganização do Terminal Urbano, a Urban racionalizou estes itinerários, eliminando essas sobreposições fazendo todas as linhas diretas irem até o trevo final do Daia.