DF: Polícia Civil investiga se houve sabotagem em falha no metrô

O rompimento do cabo de fibra óptica que paralisou a operação do Metrô no Distrito Federal durante a manhã da segunda-feira (9/4) ainda não foi esclarecido e tem gerado divergências. A Polícia Civil investiga se houve sabotagem.

Segundo o Metrô-DF informou em coletiva na segunda (9), os cabos foram rompidos em dois pontos, no trecho de aproximadamente 80 metros entre as estações Arniqueiras e Guará. “Uma ação humana ocasionou o rompimento, mas não sabemos se quem fez isso queria furtar ou fazer algo contra o sistema. A Polícia Civil foi acionada e investigará o caso”, afirmou o chefe do Departamento de Operações da empresa, Victor Mafra.

Na tarde de segunda (9), porém, um segurança do Metrô registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil do DF declarando que houve tentativa de furto de cabos na subestação de energia, na região do Guará.

De acordo com o profissional, por volta das 4h40 de segunda, uma equipe viu um sinal luminoso na estação e foi verificar. Ao chegar ao local, constatou que diversos cabos haviam sido cortados e uma corda amarrada a eles, provavelmente para que os autores pudessem retirá-los.

A ação não teria sido consumada e os seguranças acionaram a equipe da seção de reparos. Ainda segundo o relato do vigilante, a tentativa teria sido feita por dois homens. A explicação do funcionário foi confirmada por uma testemunha.

À reportagem, o Metrô disse que tomou as providência cabíveis, “como o pronto restabelecimento da operação e registrou ocorrência na Polícia Civil do DF, a quem cabe a realização de perícia e investigações”. ​A PCDF, por sua vez, comunicou que a corporação continua investigando o ocorrido e, no momento, não há novidades.

As declarações da companhia não foram bem digeridas pelo Sindicato dos Metroviários (SindMetrô-DF). Em nota, a entidade diz que vai acionar o Ministério Público do DF e o do Trabalho. “A tentativa de colocar suspeita ou mistério sobre ações que decorrem no dia a dia demonstra a falta de competência e de responsabilidade no gerenciamento da companhia”, diz parte do texto divulgado.

Em 2017, foram registrados sete casos de vandalismo e furto a fios de energia e cobre no Metrô-DF. Pela primeira vez, houve rompimento de cabos de fibra óptica. O fato ocorreu um dia após os metroviários decidirem, em assembleia, dar uma semana de prazo ao Governo do Distrito Federal (GDF) para que sejam atendidos os pleitos da categoria. Caso contrário, prometem greve a partir da 0h da próxima segunda-feira (16). Nova reunião dos trabalhadores está marcada para domingo (15).

O sistema funciona normalmente nesta terça-feira (10).

Fonte: Portal Metrópoles