DF: Operação Trickster derruba cúpula do DFTrans

Por Rafael Martins

Na tarde desta sexta-feira (23), a Justiça decretou prisão preventiva de seis suspeitos de fraude no sistema de bilhetagem automática do DFTrans. Entre os envolvidos estão o responsável pela unidade de controle de bilhetagem, Harumy Tomonori Honda, e o diretor-geral do órgão, Léo Cruz.

Após a Polícia Civil do DF ter cumprido o mando de busca e apreensão na residência de Léo Cruz, o governador Rodrigo Rollemberg determinou a exoneração de todos os servidores que foram alvos da operação realizada na manhã deste sábado.

Marcos Tadeu de Andrade, auditor de controle interno de carreira, e, atualmente, controlador-geral adjunto, será o novo diretor-geral do DFTrans.

A fraude no DFTrans pode chegar a R$ 1 bilhão, segundo o Ministério Público do DF. Na operação deflagrada em 15 de março, foram presas 34 pessoas e cumpridos 49 mandados de busca e apreensão. Além do DF, as diligências foram realizadas em Goiás, na Paraíba e em Pernambuco.

As suspeitas começaram com a descoberta de descarregamentos de cartões e uso em linhas diferentes num curto espaço de tempo. Um deles chegou a ser utilizado 60 vezes, o que daria um intervalo de oito segundos entre as viagens. Os detidos são acusados de peculato eletrônico, associação criminosa e lavagem de dinheiro.