DF: Mapeamento das empresas de ônibus revela que região oeste do DF registra o maior número de assaltos a ônibus

Viva Brasília reforça ações de segurança e baixa índices criminais
Por Rafael Martins com informações do DF1

Um mapeamento feito pelas empresas de ônibus revela onde estão os maiores índices de violência no transporte coletivo do DF. Sol Nascente (Ceilândia), Samambaia, Recanto das Emas, Estrutural, Morro da Cruz (São Sebastião) e Planaltina são as regiões mais vulneráveis.

Dados de 2017 da Secretaria de Segurança Pública mostram que Samambaia lidera o número de roubo a ônibus (732 registros), seguido de Ceilândia (660) e Recanto das Emas (316).

Os motoristas de ônibus que já foram alvo de assaltos ouvidos pelo DF1, relatam que os bandidos contam com a impunidade para praticar os atos em qualquer lugar e hora do dia. A Secretaria de Segurança absteve-se de dizer o ranking de cidades onde há mais assaltos, sob o argumento de que tal informação geraria pânico na população.

Confira aqui a entrevista completa com o Subsecretário de Gestão da Informação da Secretaria de Segurança Pública, Marcelo Ottoni Durante.

Dados divulgados no início de março pela Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social mostram que houve uma redução de 39,5% no número de assaltos a ônibus na capital, se comparado com o mesmo período do ano anterior. Foram 173 ocorrências registradas em fevereiro contra 286 em 2017.

Quem utiliza o transporte na capital denuncia que os arrastões nas paradas de ônibus aumentaram. As ocorrências neste caso são registradas como roubos a pedestres, que segundo a Secretaria, passaram de 3.343 em fevereiro de 2017 para 2.511 em 2018, uma redução de 24,9%.

Entretanto a redução não significa uma melhora, mas sim porque muitas vítimas deixam de registrar a ocorrência. Por conta da alta reincidência, as pessoas ficam com medo de denunciar.

“O registro de cada ocorrência e a informação qualificada são essenciais para o planejamento das forças de segurança”, avaliou o secretário da Segurança Pública, Cristiano Sampaio, na apresentação dos dados.