DF: Metrô-DF pretende cobrar na Justiça os danos causados nos trens pelos vândalos durante o Carnaval

Apesar do reforço do policiamento nas estações e trens durante o período do carnaval, bem como o reforço do número de empregados da empresa, o Metrô-DF registrou atos de vandalismo durante os quatro dias da folia, com danos aos patrimônio público e interrupções da operação durante a volta para casa dos foliões.

Durante os quatro dias do carnaval 2018, os trens da empresa realizaram 973 viagens. Desse total, aproximadamente 2% tiveram de ser paralisadas por atuações indevidas dos usuários. Entre essas atuações estão danos às portas dos trens, ocasionado o acionamento dos sistemas de segurança e impedindo a movimentação destes; invasões das vias e atuação de equipamentos de emergência.

Todos os atos de vandalismo ocorreram na volta para casa dos foliões. A empresa registrou atos de vandalismo contra um trem no dia 9/2; três trens no dia 10/2; 11 trens no dia 11/2; 12 trens no dia 12/2 e, por último, 14 trens na última noite do carnaval, terça-feira, dia 13/2.

No total foram danificadas 48 janelas, 25 portas, 118 capas de botões de emergência, 21 extintores e cinco luminárias. Três trens também foram alvo de pichações. Infelizmente ainda não foi possível recolocar em operação cinco dos trens vandalizados, em função do expressivo número de ocorrências. Os estoques de peças foram consumidos, requerendo que novas aquisições de sobressalentes sejam feitas pela empresa.

O Metrô-DF lamenta profundamente a ocorrência desses atos de vandalismo. “Além de ser crime e causar danos ao patrimônio público, que é de todos nós, eles colocam em risco a segurança dos usuários e dos próprios autores dos atos de vandalismo”, lamenta o diretor de Operação e Manutenção do Metrô-DF, Carlos Alexandre da Cunha.

“O Metrô está sempre disposto a contribuir para o sucesso das festas populares, no entanto, a população têm de entender que o serviço público de transporte é um direito social, custeado por todo cidadão, devendo ser respeitado e preservado por seus usuários”, alerta Carlos Alexandre.

A empresa destaca, ainda, a atuação e profissionalismo de seus empregados, que atenderam fortemente às convocações para trabalhar no carnaval e agiram decisivamente na solução dos problemas ocorridos. “Eles permitiram que a empresa atuasse, também, com um efetivo recorde durante o carnaval, nesta gestão”, informa Carlos Alexandre.

Os prejuízos financeiros causados pelos atos de vandalismo ainda estão sendo levantados pela empresa e, dentro do possível, pretende cobrar, na Justiça, os danos causados pelos autores que forem identificados pelos órgãos de segurança do Governo do Distrito Federal.

Assessoria de Comunicação do Metrô-DF