DF: Eficiência e tecnologia a serviço da mobilidade em Brasília

Viação Marechal
Por Rafael Martins

A Viação Marechal chegou há quatro anos com o desejo de mudar a percepção da qualidade do transporte público de Brasília. E qual a maneira encontrada por ela para isto? A tecnologia.

"Em Brasília temos sérios problemas para serem contornados, mas o que podemos fazer nesse momento? Implementar soluções de tecnologia para que o passageiro tenha uma experiência melhor dentro do ônibus. A primeira ação nossa foi colocar o wi-fi em toda a frota. O edital aqui é muito pesado quando fala de tecnologia, pois exige um escopo de soluções a embarcar gigantesco. Nós tivemos que desenvolver uma solução para colocar dentro do veículo um equipamento que disponibilizasse a internet, e óbvio, essa internet ela não está lá única e exclusivamente para o passageiro, mas também para nossa operação porque precisamos integrar a comunicação da nossa CCO", explica Mark Rosa, Consultor de T.I.

Entre estas soluções tecnológicas exigidas em contrato está a Central de Controle Operacional (CCO), instalada em 2015, que visa garantir o cumprimento das ordens de serviço do DFTrans. O sistema permite o monitoramento de toda a frota de 464 ônibus da Marechal através do equipamento de GPS instalado nos ônibus. Os dados são transmitidos em tempo real para a Central.

"Pretendemos ampliar as informações da CCO com o projeto do tablet. É um projeto não só de segurança, mas para termos informação em tempo real das condições de trânsito. Então qualquer problema que comprometa a operação, o rodoviário avisa pelo tablet o que está acontecendo. A CCO enxerga o problema, mas não sabe como está o problema no local. Então a partir do momento em que estivermos com isso online, vai disparar o alarme e vamos ter essa conversa", revela Alexandre Galvão, Gerente de Operações.

O sistema também emite relatórios para monitorar, por telemetria, todas as solicitações de paradas, consumo de combustível, chave de ignição ligada, uso do câmbio em ponto morto e a faixa RPM, que indica se a rotação do motor está dentro ou acima do ideal. Com todos esses controles, é possível acompanhar os indicadores de segurança e reduzir gastos com consumo de combustível e manutenção da frota. Com a telemetria é possível avaliar e pontuar a performance do motorista.

"A partir disso, temos o TOP 50 motoristas. Aqueles com melhor pontuação são chamados pela empresa e premiados financeiramente. Dessa forma você motiva o seu motorista a conduzir corretamente o carro, e a empresa ganha com economia de combustível. Para ser TOP 50 não basta apenas ter uma boa performance, mas também precisa ter um bom comportamento dentro da empresa, e nesse sentido temos conseguido avançar, e estamos criando um perfil de motoristas dentro da Marechal", ressalta Galvão.

CCO Viação Marechal

Um dos diferenciais do ITS é que ele oferece informações tanto para o operador de transporte quanto para os passageiros por meio do aplicativo Moovit. Mark revela que antes da Marechal, o Moovit tinha em Brasília 13.000 downloads. Depois que a empresa entrou com a operação em tempo real, eles saltaram para 150.000 downloads.

"Fomos o maior case de sucesso do Moovit no Brasil, tanto que diretor Pedro Palhares é fã nosso. O Moovit tem a vantagem de ser colaborativo, então o nosso cliente age como um fiscal do serviço por meio desta ferramenta. Todas as nossas ações sempre são pensadas com esse foco, em aproximar e deixar o passageiro trazer a experiência dele para dentro da nossa operação para que a gente transforme isso em resultados", conta Mark.

Além da internet, a Marechal vai disponibilizar em breve um sistema de entretenimento offline, semelhante ao que a Latam fez a pouco tempo atrás. "Isso não está operando, mas a gente desenvolveu, está pronto para ser implantado assim que conseguirmos equilibrar o desempenho desses nossos equipamentos embarcados".

A bilhetagem eletrônica com biometria é outro avanço tecnológico do setor que, além de agilizar o embarque de passageiros ajudou a refinar o controle do faturamento da empresa, reduzindo as fraudes e a evasão da receita.

Viação Marechal

"30% da frota está com o sistema implantado. A previsão é que até o final de fevereiro 100% dos ônibus estejam equipados com a biometria. Nesse momento estamos fazendo alguns ajustes, mais instalações. A ideia é acabar com essa garagem [Taguatinga] primeiro, que ela tem 215 carros, e aí ir pra garagem do P Sul que tem cerca de 240 carros, finalizando a implantação até o final de fevereiro", informa.

O consultor explica que todo esse processo de implantação da tecnologia embarcada, desde câmeras a validadores, para o carro estar disponível para a operação são cinco dias - já que neste período há testes e correções de desempenho dos equipamentos.

Mark conta que o contrato de concessão trouxe uma série de exigências de tecnologia embarcada, mas que as soluções tiveram de ser moldadas conforme a possibilidade da mesma. "Ao ônibus entrar na garagem, eles queriam que 100% do conteúdo filmado 24 horas por dia fosse transferido para o servidor e armazenado por 30 dias. Cada carro produz 1.5 GB Hertz de imagem/dia. Nós vencemos essa batalha, nós conseguimos com essa solução fazer a transferência. Só que não há garantias que você faça isso em 100% da frota todos os dias, já que o ônibus precisa permanecer um tempo na garagem em local que a antena receba o sinal sem barreiras na transmissão. Então há uma série de obstáculos a serem vencidos nessas etapas, que a solução encontrada vai amadurecer", descreve.

Câmera Viação Marechal
As câmeras de monitoramento estão presentes em 100% da frota, auxiliando na segurança dos rodoviários e passageiros. "Nós temos uma parceira com as polícias Militar e Civil em que, por exemplo, após o assalto, o motorista liga pra CCO, que de imediato já avisa a polícia. Já fornecemos diversas imagens aqui de assaltos, de violência dentro dos nossos ônibus. Criamos um canal de comunicação de transferência via nuvem para agilizar a transmissão de imagens das ocorrências. Dessa forma contribuímos para que as ações sejam tomadas o mais rápido possível, porque não queremos que nossos funcionários e clientes sejam vítimas e sofram com isso", finaliza.