DF: Área próximo à Galeria dos Estados fica interditada até 19 de fevereiro

Equipes de governo trabalham no viaduto que desabou no Eixão Sul
Entre as medidas anunciadas pelo governo de Brasília, na tarde desta terça-feira (6), após o desabamento de viaduto na Galeria dos Estados, está a interdição da área, pelo menos, até 19 de fevereiro. No período, serão feitas perícias técnicas para definir quais medidas serão necessárias para recuperá-la.

Além disso, em coletiva no Palácio do Buriti, o governador Rodrigo Rollemberg pontuou que será criada uma comissão para uma decisão conjunta a fim de restaurar o local da forma mais rápida e adequada.

Farão parte desse grupo órgãos do governo, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-DF), a Universidade de Brasília (UnB) e o Clube de Engenharia de Brasília.

“Vamos tomar todas as providências o mais rápido possível para que o transtorno à população seja o mínimo possível”, destacou o governador.

Para isso, o Executivo local trabalha em um plano de mobilidade emergencial. Estarão à frente:

- Secretaria de Mobilidade

- Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social

- Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF)

- Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans)

- Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF)

- Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF)

Outra medida a ser adotada será a definição de prioridades de investimentos para reparos e manutenção de viadutos.

“O nosso governo tem feito investimentos em reforma da estrutura de viadutos desde julho de 2015. Apesar de toda a dificuldade financeira, foram investidos R$ 67,7 milhões. Priorizamos a recuperação de oito viadutos”, exemplificou Rollemberg.

Segundo ele, como não havia recursos suficientes para reparos em todos ao mesmo tempo, deram-se preferência aos viadutos próximo à Rodoviária do Plano Piloto, por onde passam diariamente mais de 700 mil pessoas.

“Estamos muito aliviados por não ter nenhuma vítima. Agora, a nossa prioridade é a recuperação do viaduto para trazer comodidade à população.”

O governo reforçou ainda que, embora relatório do Tribunal de Contas do DF tenha apontado em 2011 a necessidade de reparos em viadutos e pontes, as intervenções tiveram início somente nesta gestão.

Demais desdobramentos — como indenizações — serão avaliados. Há recursos previstos no orçamento de 2018 que poderão ser destinados ao reparo no viaduto na Galeria dos Estados.

Além da possibilidade de remanejamento, existem rubricas genéricas que podem ser usadas, como a de conservação de estruturas físicas, no valor de R$ 19 milhões, a de reforma de prédios (R$ 18 milhões) e a de urbanização (R$ 146 milhões).

Fonte: Agência Brasília