DF: Início da construção de viaduto na Epig é previsto para abril

Início da construção de viaduto na Epig é previsto para abril
As obras do primeiro viaduto da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) — que vai ligar o Sudoeste, na altura da Avenida das Jaqueiras, ao Parque da Cidade — estão previstas para iniciar em abril.

A licitação, com custo estimado em R$ 17,7 milhões, será lançada em fevereiro, de acordo com a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos. Os recursos foram liberados pela União nesta semana. Do total, R$ 3,8 milhões fazem parte de contrapartida do governo de Brasília.

O prazo para término é de 10 meses após o início das obras, que depende do andamento da licitação.

Com o viaduto, semáforos e retornos que interligam as duas vias serão retirados. “Vai tirar o gargalo. O engarrafamento dentro do Parque da Cidade vai acabar, e a obra já dará mais fluidez ao trânsito”, pontua o coordenador da Unidade de Projetos da Secretaria de Infraestrutura, Edson José Vieira.

Os trevos na Epig serão feitos em trincheiras, ou seja, de forma subterrânea. A secretaria ressalta que toda a obra seguirá as normas urbanísticas. Por exemplo, com a distância mínima de 20 metros dos prédios.

Com a mudança, quem sair do Parque da Cidade em direção ao Sudoeste não terá mais de passar por semáforos e retornos. Seguirá direto para a Avenida das Jaqueiras, passando embaixo da Epig. No sentido inverso, haverá apenas um retorno para acessar a pista do parque.

A obra também permitirá sair do Sudoeste, na altura da avenida, e pegar a Epig sentido Plano Piloto — e vice-versa — sem a necessidade de retorno.

Como o viaduto faz parte de uma série de intervenções do corredor Eixo Oeste, os trabalhos incluirão o alargamento de vias para que, no futuro, haja em toda a Epig quatro faixas, uma delas exclusiva para BRT.


O corredor Eixo Oeste

O projeto do corredor Eixo Oeste — com 38,7 quilômetros de extensão — prevê o alargamento de pistas e a construção de faixas exclusivas nas principais vias de ligação do Sol Nascente com o Plano Piloto, como a Hélio Prates, a Epig e a Estrada Parque Polícia Militar (ESPM), que leva ao Terminal da Asa Sul.

O objetivo é reduzir em meia hora o tempo de deslocamento até o Plano Piloto.

As obras são feitas por trechos por duas razões, de acordo com a secretaria. Uma delas é para aproveitar os recursos à medida que são liberados, e a outra porque seria inviável fazer as intervenções de uma vez no trânsito.

Fonte: Agência Brasília