DF: Metrô cobra Justiça para que sindicato cumpra ordem de manter trens durante greve no DF

O Metrô do Distrito Federal informou nesta segunda-feira (20) que acionou o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) na última quinta para exigir o cumprimento da decisão judicial que manda 90% da frota circular em horário de pico e 60% em horários de menos movimento. Segundo o governo, os metroviários não estão respeitando a determinação, e cabe o pagamento da multa estipulada em caso de descumprimento, de R$ 100 mil por dia.

A categoria está em greve desde 9 de novembro. A decisão judicial que o Metrô diz ser respeitada foi decretada na véspera do começo da paralisação. Desde então, o sistema funcionou apenas em horário de pico. No entanto, desde sábado, as estações estão fechadas por falta de pessoal.

De acordo com a empresa, a adesão à greve "está muito grande" e, por isso, não há o número de mínimo de funcionários (75%) para manter o serviço. Segundo o Metrô, até a semana passada havia um número reduzido de trens circulando, porque funcionários de áreas administrativas foram remanejados às estações para dar suporte à operação do sistema.

O Sindicato dos Metroviários informou que "alguns empregados estão indo trabalhar todo dia". "A questão é que a empresa estabeleceu que, se não tiver o quantitativo desejado, não vai abrir. A gente entende que a greve é um transtorno pra população, pede desculpa, mas infelizmente é uma situação que está se arrastando há três anos."

Todo dia, cerca de 170 mil usuários utilizam o metrô na capital. "Agora, esses empregados ficaram sobrecarregados e as áreas de que são responsáveis estão paradas, como fiscalização de contratos, manutenção, lançamento de folha de ponto, tudo isso parado", disse a empresa ao G1.

Nesta segunda, o Detran e o DER liberaram as faixas exclusivas na EPTG, na EPNB, na W3 Sul e Norte e no Setor Policial Sul até a meia-noite. Em comunicado publicado nas redes sociais, o DER afirma que a medida busca "garantir fluidez e segurança para os usuários das vias". O órgão informou, ainda, que as multas que eventualmente forem aplicadas nesta segunda serão anuladas.

Fonte: G1 DF