DF: Interventora nomeada pela Justiça tem desafios a cumprir na Cootarde

Por Rafael Martins com informações do G1

A Cootarde tem 150 micro-ônibus operando em cinco cidades. A equipe da TV Globo constatou que depois da intervenção, há um número maior de ônibus em circulação.

Por seis meses, a interventora Eliana do Nascimento terá que fazer o levantamento financeiro da cooperativa, apontar dívidas e possíveis irregularidades. Desde então, alguns funcionários da área administrativa não conseguem entrar na garagem.


A interventora não pode dar entrevistas devido ao processo correr em segredo de justiça, porém enfatizou que havia muita desordem administrativa na Cootarde. A prioridade, segundo ela, é pagar todos os funcionários até 8 de novembro.

Após uma breve auditoria inicial, constatou-se que o número de ônibus em circulação vinha caindo mês após mês, e que depois de deflagrada a Operação Checklist, os veículos irregulares foram lacrados e impedidos de rodar. O próximo passo é colocar para circular 10 micro-ônibus novos que vieram da fábrica recentemente.

Sobre os funcionários afastados, a interventora disse que é temporário, pois os contratos eram de outras empresas, mas que ninguém vai perder direitos trabalhistas.