DF: Empresas e sindicato dos rodoviários vão analisar proposta de acordo e se reunir novamente no próximo dia 11

Empresas de transporte público do Distrito Federal e o Sindicato dos Rodoviários do Distrito Federal (SITTRATER-DF) ficaram de examinar, junto aos empresários e aos trabalhadores, respectivamente, proposta de reajuste para a categoria formulada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). As partes voltam a se reunir na próxima segunda-feira (11) para prosseguir nas negociações. Este foi o resultado de mais uma audiência de conciliação no dissídio coletivo de greve realizada na manhã desta segunda-feira (4) na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), conduzida pela vice-presidente no exercício da presidência do Tribunal, desembargadora Maria Regina Machado Guimarães.

A proposta de acordo sugerida pelo MPT foi no sentido de um reajuste salarial de 4,5%, com aumento de 5% no valor do ticket alimentação, de 6% no valor da cesta básica e de 14% nos planos de saúde e odontológico, com alteração da data base da categoria de maio para agosto. O secretario de Mobilidade Urbana do Distrito Federal disse, durante a audiência, que o governo concordava com a proposta do MPT e poderia assegurar os repasses públicos correspondentes para cobrir os aumentos propostos.

De início, as empresas - Viação Piracicabana, Viação Pioneira, Auto Viação Marechal, Urbi Mobilidade Urbana e Expresso São José - ofereceram como proposta um reajuste de 4% nos salários, com a possibilidade de um reajuste linear de 4,23%, se houvesse concordância do sindicato com a mudança da data base da categoria, de maio para agosto. Já o sindicato reivindica 6,5% de reajuste no salário, com 15% de aumento nos planos de saúde e odontológico.

As partes ficaram de levar a proposta do MPT para suas bases e devem voltar a se reunir, no TRT-10, na próxima segunda-feira (11), às 10h30.

Fonte: TRT 10ª Região