Goiânia: Secima reúne comitê para acompanhar elaboração do Plano Metropolitano

O Comitê Executivo do Plano de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Goiânia se reuniu, pela primeira vez, na tarde desta terça-feira, 1º de agosto. Além da apresentação dos integrantes, a reunião no Palácio Pedro Ludovico Teixeira teve como pauta a explanação do fluxograma e a definição da agenda.

De acordo com o superintendente de Assuntos Metropolitanos da Secima, Marcelo Sáfadi, o comitê representa um misto de sociedade e governo e irá aconselhar a equipe de elaboração do Plano de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Goiânia (PDIRMG) quanto às decisões, prazos e processos a serem cumpridos. “A ideia é que o grupo se reúna uma vez por mês. As pautas dos encontros serão como uma calibragem do produto do PDIRMG a ser apresentado em audiência pública”, afirmou.

Para o deputado Francisco Júnior, o maior desafio do comitê será defender o interesse comum, aliando o conhecimento técnico ao político. “Devemos tomar decisões que obedeçam as leis, mas que atendam a população como um todo, e não apenas grupos de interesses”, disse.

Referência

Segundo Marcelo Sáfadi, a região metropolitana de Goiânia tem potencial para ser modelo nacional, se todos os municípios aderirem e seguirem as diretrizes que serão apontadas pelo Plano de Desenvolvimento Integrado (PDIRMG). De acordo com o superintendente, o desafio é a ruptura do pensamento bairrista em favor do interesse coletivo. 

“O conceito 'metropolitano' ainda não foi compreendido, na sua totalidade, pelo Brasil. Até porque a lei é nova. Mas, acima de tudo, porque a cultura do Brasil é uma cultura de defesa do local, em detrimento ao interesse coletivo”, disse. “O desafio é não desistir de tentarmos ser cooperativos, resilientes e inovadores em tomar decisões coletivas e não decisões individualistas”, conclui.

Estiveram presentes representantes das prefeituras e câmaras municipais de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Senador Canedo e Trindade, da Assembleia Legislativa, dos conselhos de arquitetura e urbanismo, engenharia e agronomia (CAU e CREA), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Ministério Público de Goiás, das universidades Federal e Estadual de Goiás (UFG e UEG), da Pontifícia Universidade Católica (PUC) e do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codese – Goiânia).

A próxima reunião do Comitê está marcada para a primeira semana de setembro e trará como pauta a audiência pública de apresentação do PDIRMG.

Fonte: Secima