DF: Por reajuste salarial, rodoviários param e 1 milhão de passageiros são prejudicados

Por Rafael Martins

Cerca de 1 milhão de passageiros estão sendo afetados com a paralisação dos rodoviários. Desde às 5h, nenhum ônibus das cinco empresas saíram das garagens. Apenas os micro-ônibus que fazem as linhas circulares nas cidades e os ônibus da TCB estão operando.

Os passageiros foram pegos de surpresa com a paralisação. Segundo o sindicato, a mobilização é por tempo indeterminado. Há pelo menos um mês, os rodoviários aprovaram a nova proposta dos empresários de 4% de reajuste nos salários, cesta básica, vale-alimentação e plano de saúde e odontológico, retroativa a maio; porém segundo a entidade sindical a reivindicação de aumento de 10% na remuneração e 20% nos benefícios iria continuar. Na época, o Sindicato dos Rodoviários não descartou eventuais paralisações para pressionar os empresários de ônibus a apresentarem uma proposta de reajuste que satisfizesse a categoria.

Ao G1, as empresas informaram terem sido pegas de surpresa e que os rodoviários receberam outra proposta de aumento de 4,5% no salário – mais reajustes relativos aos benefícios de alimentação (5%), plano de saúde (12%), odontológico (12%) e cesta básica (6%). A categoria não aceitou a proposta.

Quem precisou ir para outra região do DF ou Plano Piloto, ficou refém do transporte pirata; ou pagaria mais caro embarcando nos ônibus que vem do Entorno.

Na Rodoviária do Plano Piloto, maior terminal de ônibus do DF, as baias ficaram vazias. O movimento era apenas de pessoas, já que com o policiamento reforçado no local, nenhum veículo pirata parou dentro da Rodoviária.

Para diminuir os transtornos, as faixas exclusivas da W3 Sul e Norte e Setor Policial Sul, de responsabilidade do Detran, e da EPTG e EPNB, de responsabilidade do DER, estarão liberadas da 0h às 23h59 de segunda-feira. A proibição de tráfego restringe-se ao corredor exclusivo do BRT, que liga Gama e Santa Maria ao Plano Piloto.

A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) estenderá em 30 minutos o horário de pico (das 6 horas às 9h15 e das 16h45 às 20h45). Nesse período, 24 trens fazem o transporte dos passageiros. No restante do dia, serão 15 veículos circulando.