DF: Obras orçadas em R$ 27 milhões estão paradas na Rodoviária do Plano Piloto

Quem passa diariamente pela Rodoviária do Plano Piloto lamenta o transtorno provocado por obras paradas no local. Orçada em R$ 27 milhões, a entrega das melhorias na infraestrutura estava prevista para novembro de 2016, mas precisou ser revista devido à falta de recursos. O problema, agora, se agravou: a empresa vencedora da licitação teve o contrato rescindido por atraso no cronograma físico e financeiro; com isso, os trabalhos foram paralisados até que a segunda colocada do certame seja convocada.

A aposentada Josefa Ramos de Oliveira, 67 anos, se deparou com as escadas rolantes quebradas na entrada voltada para o Conjunto Nacional. “O certo é funcionar, mas sabemos como as coisas são. Isso aqui vive mais quebrado do que funcionando”, queixa-se. Mesmo com dificuldades de locomoção, a idosa preferiu encarar a escada rolante parada do que o elevador do terminal rodoviário. “Não confio no elevador; por isso, vim por aqui mesmo”, explicou.

O ambulante Rivelino Florindo, que trabalha na plataforma superior, denuncia que uma das escadas rolantes não funciona há mais de 1 ano. “Isso aqui está parado há tempos. As pessoas têm dificuldade para se locomover, principalmente na hora de maior fluxo de gente. Eu vejo isso todos os dias”, diz. “Por ser a entrada mais usada, eu acredito que essas escadas deveriam estar em funcionamento”, opina.

O brigadista Cassemiro Filho, 36, lamenta a situação. “É complicado. Prejudica os idosos ou quem está debilitado”, argumenta. Segundo ele, o tamanho da escadaria da Rodoviária é um complicador. “As escadas e os elevadores são necessários. Se estão quebrados, a única opção das pessoas é encarar toda essa escadaria, e muitas sofrem com isso”, reclama.

Contrato

Questionada pela reportagem sobre as condições da Rodoviária do Plano Piloto, a Novacap informou que foram executados apenas 20% da obra. E reconheceu que os trabalhos foram paralisados. A empresa responsável pela intervenção não cumpriu com o combinado e teve o contrato de prestação de serviço rescindido. Segundo a estatal, a reforma, iniciada em agosto de 2014, prevê a troca das instalações elétricas, eletrônicas e hidráulicas, a mudança de piso, a transformação completa das áreas administrativas e a nova pavimentação de circulação dos ônibus, incluindo as baias. A nova data de entrega é abril de 2018.

Sobre as condições da mobilidade da população no local, a Novacap acrescentou que, dos seis elevadores, um está parado, aguardando a chegada de peças de reposição. Quanto às escadas rolantes, há 12, sendo que duas estão paradas, à espera de concerto. As demais funcionam normalmente.

Fonte: Correio Braziliense