Goiânia: PM reliza policiamento no Terminal Praça A

Por Rafael Martins

Após reclamações e denúncias de usuários de drogas nas dependências do Terminal Praça A, a segurança foi reforçada no local e os passageiros aprovaram a medida.

Há duas semanas, um rapaz reagiu a um assalto e foi esfaqueado na plataforma do Eixo Anhanguera em plena luz do dia. Quem trabalha ou passa pelo terminal revela uma rotina de insegurança e medo. 

Uma operação da Prefeitura de Goiânia e da Polícia Militar retirou os ambulantes irregulares dentro do terminal, com objetivo de dar maior segurança de quem usa o transporte coletivo.

Pessoas suspeitas de praticar roubos foram conduzidas à delegacia, já que alguns ambulantes estavam de conluio com os ladrões, guardando e receptando as mercadorias roubadas. Do lado de fora do Terminal, era possível encontrar celulares de procedência duvidosa com preços bem mais baixos que os praticados no mercado formal.

Em dois dias de operação, a Prefeitura retirou 40 ambulantes. Passageiros do Eixo Anhanguera reclamavam do tumulto que os ambulantes causavam no corredor de acesso das linhas alimentadoras para a plataforma do Eixão, atrapalhando o embarque e desembarque de passageiros. A ocasião era perfeita para a prática de delitos como furtos e roubos, sendo que os maiores alvos são aparelhos celulares, carteiras e bolsas.

Os criminosos agiam da seguinte forma: aproveitando-se do tumulto no embarque, eles saíam em grupos para causar confusão e distrair a atenção dos passageiros. Outros faziam várias viagens, com baldeação nos terminais, prestando atenção nas vítimas que eram mais descuidadas.

Quem passou hoje pelo Terminal Praça A, encontrou um local mais aprazível de circulação com maior presença de vigilância privada inibindo os ambulantes de retornarem ao local e da PM. Os usuários aprovaram a medida, e pedem que seja constante estas ações.

Mesmo com a vigilância presencial e o videomonitoramento, usuários dizem que nem isso inibe a ação dos ladrões; e pedem uma maior atuação e presença da Polícia Militar nos terminais.

A PM diz que realiza rondas frequentes, porém não é de sua obrigação garantir segurança dentro dos terminais; já que tal responsabilidade são das empresas de ônibus que fazem a gestão dos locais. Todavia, apesar da vigilância privada; a mesma não possui poder de polícia, necessitando do apoio constante da PM nestes locais.