DF: Novas paralisações não estão descartadas, diz Sindicato dos Rodoviários

Urbi - 330957
Por Rafael Martins

Apesar da possível greve dos rodoviários estar suspensa por 30 dias, o Sindicato dos Rodoviários não descarta eventuais paralisações para pressionar os empresários de ônibus a apresentar uma proposta de reajuste que satisfaça a categoria.

Reunidos ontem (9) no Conic, os rodoviários aprovaram a nova proposta dos empresários de 4% de reajuste nos salários, cesta básica, vale-alimentação e plano de saúde e odontológico, retroativa a maio; porém segundo a entidade sindical a reivindicação de aumento de 10% na remuneração e 20% nos benefícios continua.

As concessionárias do transporte afirmam que não têm condições de garantir o reajuste pedido pelos rodoviários, pois fatores externos impactam na receita tais como: a crise econômica que elevou o número de desempregados, o que contribui para a queda de demanda de passageiros pagantes; a pirataria, além da dívida milionária que o GDF tem com as empresas de ônibus. Ainda sim, segundo as companhias, em três anos os rodoviários tiverem um ganho real de 40% de reajuste.

O Sindicato dos Rodoviários informou que no prazo de 30 dias devem ocorrer novas rodadas de negociações entre a entidade e as empresas de ônibus para que apresentem uma nova proposta. Apesar dos benefícios serem mantidos, o Sindicato rejeitou trabalhar com banco de horas e o aumento da jornada de trabalho de 6h para 6h40.