Goiânia: Segurança no transporte metropolitano é alvo de questionamentos na CEI do Transporte

O Sub-comandante do Policiamento Civil de Goiânia, Inspetor da Gilásio Ataíde Cavalcante Filho foi ouvido, como convidado, nesta terça-feira, 20, na Comissão Especial de Inquérito (CEI) do Transporte Coletivo. Ele falou sobre a segurança nos ônibus e nos terminais da região Metropolitana, a pedido do relator da comissão, vereador Anselmo Pereira (PSDB).

O Inspetor Gilásio contou aos presentes que a Metrobus fechou acordo com Guarda Civil para policiamento dos terminais e plataformas do Eixo Anhanguera, mas que a ação ocorreu apenas por seis meses, devido à falta de cumprimento de contrapartidas por parte daquela empresa. Caberia à Metrobus a manutenção dos veículos utilizados pela Guarda e o fornecimento de combustíveis, porém, de acordo com o depoente, os carros acabaram ficando sucateados e o suprimento de combustível era insuficiente.

O sub-comandante informou que durante o período em que a Guarda Civil atuou no Eixo Anhanguera houve a diminuição em cerca de 60 por cento dos índices de criminalidade. Entre os principais crimes que ocorrem nas plataformas e terminais estão roubos, vandalismo e briga entre ambulantes por disputa de ponto. “Apreendemos inclusive arma em posse de um passageiro”, adicionou.

Gilásio relatou também que a Guarda Civil Metropolitana apresentou projeto à Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) que poderia resultar em um convênio para o policiamento do sistema.

O vereador Paulo Daher (DEM) sugeriu que a Guarda Civil possa ter uma efetiva interligação com o Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle (CIICC) que já integra a CMTC, tendo veículos e terminais monitorados por câmeras de vídeo. Fazem parte do CIICC a PM, o Samu, os Bombeiros, a Amma e a SMT.

Já, Vinícius Cirqueira (PROS) prometeu que irá requerer da Metrobus cópia de todos os contratos firmados com empresas se segurança e dos contratos de aquisição e monitoramento das câmeras de vídeo. Ele contou que na diligência que a CEI fez à Metrobus foram verificadas dezenas de veículos sucateados, mas equipados com câmeras de vigilância, numa “evidente má gestão da concessionária”.

Visita surpresa

Por unanimidade os membros da CEI aprovaram requerimento para realizarem na próxima sexta-feira, 23, visita surpresa a um dos terminais da capital a fim de verificar a situação dos mesmos e comprovar as denúncias de usuários relativas à falta de higiene, falta de segurança e superlotação nas plataformas para acesso aos ônibus.

“Na visita que fizemos ao Padre Pelágio não foi verificada a verdadeira situação, pois com a divulgação que iríamos lá ele passou por uma limpeza que não se via um toco de cigarro. Havia organizadores de filas, tudo perfeito”, informou Clécio Alves (PMDB) que preside a CEI. Clécio adicionou que o padrão observado naquela oportunidade deveria ser o de todos os terminais.

Anselmo Pereira defendeu que além das visitas a CEI poderia realizar audiências itinerantes nos terminais, onde além dos usuários, autoridades seriam convidadas a comparecer.

Ele também apresentou a proposta para que os membros da comissão visitem o governador do Estado Marconi Perillo, já que o transporte público da capital é gerido pela Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC), em que o Estado de Goiás é o principal integrantes.

Fonte: Câmara Municipal de Goiânia