Goiânia: CEI do Transporte visita de surpresa Terminal Novo Mundo e Set

Os vereadores Clécio Alves(PMDB), Anselmo Pereira (PSDB), Paulo Daher (DEM) e Vinícius Cirqueira (PROS) que fazem parte da Comissão Especial de Inquérito (CEI) do Transporte Coletivo, visitaram hoje,23, o Terminal Novo Mundo para verificar as condições deste que é um terminais administrados pela Metrobus.

A visita surpresa foi a segunda que a comissão fez a um dos terminais da cidade, porque segundo os parlamentares na visita ao Terminal Padre Pelágio, a Metrobus maquiou o lugar e colocou ônibus circulando a miúde, de forma que não houve filas nas plataformas e nem atraso nas viagens.

No Novo Mundo os vereadores verificaram in loco as principais queixas dos usuários, que são superlotação dos veículos, desorganização nas plataformas de embarque, demora dos ônibus e falta de segurança e limpeza nos locais de embarque e sanitários.

O vereador Clécio contou que ao chegar ao terminal foi intimidado pelo chefe do terminal que não queria permitir a entrada dos parlamentares para fiscalizar o local. “Se fazem isso com um vereador de Goiânia e presidente da CEI, imagina com o passageiro comum”, reclamou adicionando que “quem usa é o mais lascado...não vai ter pessoas para intimidar essa comissão. Vamos usar todas as nossas prerrogativas e queremos ser respeitados.

Passageiros informaram aos parlamentares sobre a demora dos ônibus especialmente nos finais de semana quando os usuários ficam até uma hora e meia esperando, e quando chegam chegam estão superlotados. Outra denúncia é que as máquinas muitas vezes não aceitam os cartões e para comprar o sitpass os funcionários exigem as notas sejam novas.

O relator, Anselmo Pereira falou das bancas comerciais que estão tomando o lugar onde deveria haver bancos para que os idosos e deficientes possam sentar para aguardar o ônibus. “Houve uma mudança e deturpação da finalidade dos terminais com a comercialização sendo colocada em primeiro plano”. Ele defendeu que haja uma mudança de comportamento para que se dê “preferência para quem vai pegar o ônibus e não para a atividade comercial”.

Paulo Daher comparou com a visita que fizeram no Padre Pelagio, que foi pré-agendada e por isso encontraram naquela ocasião um terminal limpo, com seguranças, com organizadores de filas e com banheiros higienizados, tendo inclusive, sabonete líquido e papel higiênico, para o usuário e ônibus suficientes para atender aos passageiros.

Já, Vinícius Cirqueira observou que no momento em que chegaram ao terminal havia dezenas de passageiros nas filas aguardando os ônibus e que após meia hora os veículos começaram a circular em maior quantidade e passando na plataforma mais vezes, uma comprovação de que a empresa estava tentando disfarçar a situação por causa da visita surpresa dos vereadores.

Visita ao SET

Após a visita, os vereadores decidiram de surpresa visitar o Sindicato das Empresas de Transporte (Set, antigo Setransp). Foram recebidos pelo presidente Décio Caetano Filho e pelo vice, Adriano de Oliveira, os quais relataram dificuldades econômicas que as empresas passam, especialmente pela falta de repasse do poder público dos percentuais de gratuidade.

Décio explicou que o valor das tarifas está defasado, mas que não estão defendendo o aumento da passagem e sim o subsídio governamental. Segundo disse, atualmente estão recebendo apenas cinco por cento dos 25% a que tem direito, pois o Estado de Goiás está ressarcindo apenas o que é gasto com o Passe Estudantil. “Temos ainda nas gratuidades os idosos, deficientes físicos e crianças”, contou Adriano.

O vereador Anselmo elogiou os terminais administrados pela Set e questionou o fato de os terminais e plataformas da Metrobus estarem caóticos. Décio explicou que a Metrobus passou a integrar o sindicato no final de 2016 e estava aguardando as tratativas do VLT, mas que agora que o novo sistema não será mais implantado na Avenida Anhanguera, eles deverão realizar reformas e adequações nos seus terminais.

“É preciso trabalhar a quatro mãos para resolver os problemas do transporte que as pessoas que pagam antes de utilizar merecem por direito. Vamos buscar ajuda do prefeito de Goiânia, de Aparecida e do Governador”, afirmou Clécio, que obteve apoio de Anselmo à proposta de que o Set deve apresentar reivindicações junto ao poder público para que promova uma forma de subsidiar a passagem e não mais diluir as gratuidades no valor dos demais usuários, o que hoje está em torno de 30% do valor que é diluído nos custos e pago por todos os passageiros.

Fonte: Câmara Municipal de Goiânia