DF: Brasiliense vai ficar sem transporte coletivo nesta sexta (30)

Por Rafael Martins

Rodoviários e Metroviários do DF vão aderir a greve geral nesta sexta-feira (30), e irão cruzar os braços por 24h. Cerca de 1 milhão de passageiros que dependem dos ônibus, e 160 mil do Metrô devem ser afetados com a paralisação.

Os movimentos sociais e centrais sindicais convocaram uma greve geral nacional contra a reforma da Previdência, mudanças na legislação trabalhista propostas pelo governo Michel Temer, além de pedirem as Diretas Já.

Impedimento

No último ato em 28 de abril, a Procuradoria-Geral do Distrito Federal entrou no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região com pedido de manutenção da totalidade do sistema de transporte público do DF, que fora negado. Um pedido liminar ajuizado por empresas de ônibus do Distrito Federal para impedir a greve de rodoviários também foi negado pelo Tribunal. 

No dia da greve geral, a Advocacia-Geral da União (AGU) obteve liminar que suspendeu a paralisação. A decisão, da 5ª Vara Federal do DF, determinou que sindicatos deviam garantir o funcionamento mínimo de 30% de suas frotas, sob pena de multa de R$ 1,6 milhão para cada sindicato em caso de descumprimento.

Em abril, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF), para amenizar os transtornos, as faixas exclusivas da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) e da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), do Setor Policial Sul e das avenidas W3 Sul e Norte ficaram liberadas durante todo o dia.

Foi mantido o sentido único da Estrutural, das 6 às 9 horas, sentido Plano Piloto, e das 17h30 às 19h45, em direção a Ceilândia. Também não houve alterações na faixa reversa da Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia), no trecho entre Torto e Colorado.