Goiânia: Corredor T-7 está parado e pode ser retomado em junho

As obras do corredor preferencial de ônibus da Avenida T-7, que liga a Praça Cívica, no Centro, até o Terminal Bandeiras, na Região Sudoeste, estão paradas. A expectativa da administração municipal era de que os trabalhos retornassem em abril, junto com a obra do BRT Norte-Sul. No entanto, só foi realizada a finalização da sinalização horizontal na parte que já estava construída e a Jofege Construtora, responsável pela construção do corredor, voltou a parar os trabalhos.

Esse serviço estava programado para ser feito em dezembro do ano passado, mas não foi realizado por falta de recursos. Segundo apurou o POPULAR, a Prefeitura ainda finaliza um trabalho de engenharia financeira para conseguir arcar com os aditivos contratuais e garantir os repasses da Caixa Econômica Federal, que financia a obra com recursos do Ministério das Cidades, pelo Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) Mobilidade. 

Pelo contrato original, a obra deveria ter sido entregue ainda no ano passado e o contrato deve ser prorrogado. A estimativa da administração é que as obras voltem a ser realizadas a partir do mês que vem.

Neste mesmo período, todo o estudo do projeto e a situação dos trabalhos serão repassados da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) para a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra). 

Na prática, a administração do Corredor T-7, no que tange a obtenção dos recursos e negociação com a empresa vencedora, já é da Seinfra desde o começo do ano. A reportagem não conseguiu falar com o secretário, Fernando Bertoldi, sobre o Corredor T-7.

O último trabalho do ano passado foi a conclusão o pavimento entre as avenidas Itália e Belo Horizonte. No Corredor T-7, a obra já consta como totalmente finalizada no trecho da Avenida Gercina Borges, entre a Praça Cívica e a Assis Chateaubriand, no Setor Oeste. 

A ciclovia foi concluída entre a Praça Cívica e a Praça do Cigano, via Assis Chateaubriand, mas já teve de passar por reparos e há locais com problemas. Na obra foi priorizada a pavimentação, que tem 80% de conclusão, os trechos cicloviários e a drenagem. 

Por serem modificações que já podem ser entregues de imediato à população. No total, no entanto, ainda há a reformulação viária e de urbanismo em todo trecho.

Fonte: Jornal O Popular