Goiânia: Ex-governador do DF recebeu R$ 466 mil de obra do VLT da Anhanguera, diz delator da Odebrecht

Parte dos R$ 996 mil repassados ao ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) foram desviados das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Goiânia, afirmam delatores da empreiteira Odebrecht. Segundo as delações, o político recebeu R$ 466 mil da obra goiana como caixa dois para financiar sua campanha para voltar ao governo do DF em 2014.

Procurado pelo G1, o advogado de Arruda afirmou que não tem interesse de comentar o caso, por enquanto. O governo de Goiás afirmou que prestará os devidos esclarecimentos sobre o conteúdo das delações "em juízo".

"O consórcio vencedor da concorrência do VLT entregou o projeto executivo das obras. A Odebrecht integrava o consórcio, mas deixou o contrato. Além disso, houve restrições à captação de financiamentos e as obras não foram iniciadas, não tendo havido dispêndio de recursos públicos com elas", afirma o governo estadual.

Os detalhes sobre o desvio da obra goiana foram relatados pelo ex-diretor da Odebrecht Ricardo Roth Ferraz de Oliveira. Em depoimento, ele diz que “algum recurso alocado nessa obra [do VLT de Goiânia] foi destinado a ele”. “Na contabilidade nossa do sistema saíram daí para poder fazer o pagamento para o Parreira [apelido de Arruda nas planilhas da Odebrecht].”

VLT de Goiânia

Licitada em 2013, a obra não chegou a sair do papel por falta de financiamento. Ela foi orçada em R$ 1,3 bilhão – com a Odebrecht tendo 90% de participação no projeto.

De acordo com a proposta, o sistema contaria com 30 composições e de dois vagões. Cada um transportaria 300 pessoas, com partidas ocorrendo a cada três minutos, pelo Eixo Anhanguera.

Fonte: G1 DF