DF: Motoristas de ônibus da TCB paralisam atividades

Motoristas da Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB), empresa pública do Distrito Federal, estacionaram os ônibus na entrada da rodoviária do Plano Piloto na manhã desta quarta-feira (12), dificultando o acesso de outras linhas e a circulação de passageiros. Os funcionários reivindicam o vale alimentação do mês de abril, que não foi pago pela empresa.

A TCB possui 36 ônibus que circulam pela região central do DF. Com a paralisação, as linhas que passam pelo aeroporto, Praça dos Três Poderes, Supremo Tribunal de Justiça, Rodoviária Interestadual, QG do Exército e Shopping Popular foram interrompidas. De acordo com os funcionários, a paralisação só acaba quando o dinheiro "cair na conta".

A Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) informou por meio de nota que "a licitação da nova empresa para o fornecimento de tíquete-alimentação está em andamento. O pregão ocorreu em 3 de abril e, neste momento, encontra-se em fase de assinatura do contrato, o que deve ocorrer ainda hoje. Com isso, a expectativa do governo é de que o pagamento do tíquete-alimentação ocorra até amanhã, o que deve normalizar a situação".

Segundo o Sindicato dos Rodoviários do DF, no mês passado o governo encerrou o contrato com a empresa que prestava o serviço. "O contrato acabou e eles demoraram para renovar. Eles tinham um prazo de pagamento até terça-feira (11), mas não pagaram", disse o diretor do sindicato Gilberto Teófilo.

Na semana passada, a TCB pregou cartazes informando que o pagamento seria depositado até o dia 10 de abril na conta corrente de cada funcionário. Mas, segundo os motoristas, fiscais e cobradores, o prazo não foi cumprido.

"Nós estamos há 15 dias sem receber. Eles até divulgaram que iam pagar no dia 10, mas não realizaram o pagamento. Isso é uma propaganda enganosa", disse Rosivaldo Santana, motorista há 25 anos.

Os passageiros que dependem da TCB chegaram a fazer fila nos boxes, a espera dos ônibus. "Eu fui pega de surpresa. Eu tava indo pro banco e agora não sei como fazer porque não sabia de nada", disse a atendente Priscila de Jesus.

Os ônibus que pararam na rodoviária na manhã desta quarta também atrapalharam a circulação das demais linhas. "Complicado né. Eu tô muito atrasado pro trabalho, o ônibus não chega e agora vamos num ônibus abarrotado", afirmou o estudante Otávio Martins.

Fonte: G1 DF