DF: Homens são presos após roubarem escolta que protegia ônibus no Sol Nascente, em Ceilândia

Quatro homens foram presos pela polícia na tarde desta quinta-feira (16) suspeitos de roubar armas e coletes de uma equipe de segurança privada contratada para proteger os ônibus que transitam pelo Sol Nascente, em Ceilândia. Eles foram levados para a 19ª DP. Policiais ainda estão nas ruas em busca de outros membros do grupo.

No dia 9 de fevereiro, o DFTV mostrou que a empresa Rural JN contratou uma escolta armada para circular com "tranquilidade" no Sol Nascente. Dois seguranças armados ficavam em um carro próximo a um posto policial à espera do ônibus, que era acompanhado durante todo o trajeto.

Nesta quinta, uma testemunha, que não quis se identificar, disse à TV Globo que o momento do roubo "parecia cena de filme de ação". Segundo ela, os moradores da região acreditam que o grupo tenha ligação com o transporte pirata, já que "os ônibus estão proibidos de descer com passageiros".

"Eles estavam almoçando em um restaurante quando anunciaram o assalto. Depois de assaltarem, ainda deram um disparo. Queriam levar as armas e coletes deles", afirmou.

A Polícia Civil informou também que um dos detidos nesta quinta havia sido preso 24 horas antes, em flagrante, "por usurpação de função pública". Ele usava um carro adquirido em um leilão do Detran, cujo o documento era cadastrado como "veículo oficial de carga da PMDF".

Guerra por passageiros

Um homem foi morto a tiros na última semana também no Sol Nascente, em Ceilândia. De acordo com a Polícia Militar, o crime foi um acerto de contas entre dois motoristas de transporte pirata que atuavam na região.

Segundo os policiais, o autor dos disparos, que não teve o nome divulgado, chegou de carro sozinho ao endereço por volta do meio dia. Após atirar na vítima, ele teria fugido a pé, deixando para trás o veículo, que acabou sendo incendiado.

"A gente nem consegue pegar ônibus. Eles não deixam os ônibus pararem nas paradas, jogam pedra, ameaçam. Tem vez que as linhas nem entram porque ficam com medo. A gente precisa subir para avenida e pegar ônibus lá", afirmou uma moradora.

Fonte: G1 DF