DF: Cootarde afirma que incêndio foi criminoso

Dois incêndios atingiram micro-ônibus da cooperativa Cootarde na madrugada deste sábado (4). Um deles ocorreu na garagem da empresa, no Recanto das Emas, Distrito Federal. O outro incêndio foi em frente a casa de um motorista da empresa, em Ceilândia. A Polícia Civil informou que tem prazo inicial de 30 dias para apontar as possíveis causas do ocorrido.

Na garagem estavam estacionados 28 micro-ônibus da cooperativa à espera da liberação do DFTrans para circulação na cidade. Os bombeiros foram chamados e isolaram o incêndio, mas 10 veículos foram atingidos. Destes, nove tiveram perda total e apenas um ficou parcialmente danificado, segundo informações da Polícia Civil.

Em entrevista à TV Globo, a presidente da Cootarde Marlene Chagas disse ter certeza de que o incêndio foi criminoso. Os bombeiros informaram que a ação de contenção do fogo durou 1h40 sendo utilizado aproximadamente 12 mil litros de água e 250 litros de extrato de espuma. Não houveram vítimas.

O outro micro-ônibus da cooperativa que foi incendiado na mesma madrugada estava estacionado em frente a casa de um dos motoristas da Cootarde, em Ceilândia, Distrito Federal Os bombeiros foram acionados às 1h14 mas não conseguiram impedir que o micro-ônibus tivesse perda total. A Companhia Energética de Brasília foi chamada para providenciar os ajustes na rede de alta tensão elétrica que foi danificada devido às chamas.

Outro caso

Um motorista da cooperativa foi agredido na terça-feira (31) por um homem que entrou, segundo testemunhas, com uma barra de ferro no micro-ônibus e começou a atacar o funcionário sem motivação aparente. No mesmo dia, funcionários da empresa que estão em greve, foram detidos pela polícia após tentar impedir que colegas trabalhassem.

Fonte: G1 DF