Goiânia: Obras do BRT Norte-Sul estão paradas e cheias de mato

O projeto assinado no início 2015 pela então presidenta da República, Dilma Rousseff (PT), juntamente com o ex-prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), firmou o início da construção do novo Bus Rapid Transit (BRT) Norte-Sul, que atualmente está com as obras paralisadas devido à troca de mandato no poder Executivo da capital. A prefeitura ainda não nomeou qual equipe será responsável pela retomada das obras.

As obras se iniciaram pela Avenida Rio Verde, no Parque Amazônia, e pela Avenida Goiás Norte, no Setor Urias Magalhães. E em visita ao local, O Hoje constatou que as obras paradas estão cobertas de mato, com aspecto de abandonadas. As intervenções iniciais já geraram transtorno no trânsito e para moradores e comerciantes da região.

A Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) já está com equipes fazendo a limpeza em alguns pontos da Avenida Goiás Norte, no entanto, ainda não há nenhuma movimentação que indique a retomada das obras do BRT e a prefeitura não forneceu nenhuma informação sobre prazos e datas previstas.

Inicialmente, o projeto previa que as intervenções para a implantação do BRT deveriam durar até novembro de 2016, mas as obras se estenderão pelos próximos dois anos. O ex-prefeito já havia anunciado que o projeto de tamanha modernidade atenderá 100 mil usuários por dia a mais que o Eixo Anhanguera suporta.

Quando apresentado o projeto desafiador, tendo em vista os gastos públicos, as intervenções no trânsito, e transtornos e a grande extensão, Paulo Garcia, na época, afirmou que o BRT dinamizaria quase 40% do tempo para percorrer o mesmo percurso.

Com exatos onze dias de mandato, o atual prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), ainda não anunciou a retomada das obras do BRT, e a assessoria explicou que ainda não foi apresentada a nomeação dos cargos internos da prefeitura. O ex-assessor especial da obra, Ubirajara Rodrigues, foi exonerado do cargo que ocupava na Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh).

Funcionamento

O BRT integrará 148 bairros e terá capacidade de atender 120 mil usuários por dia. Os 93 ônibus articulados irão operar em quatro linhas e interligarão 39 plataformas de embarque e desembarque, além dos seis terminais já existentes. Com extensão de 21,8 km, os ônibus transitarão em velocidade estimada de 28 km/h em uma via exclusiva.

Em horário de pico, estima-se que passe mais de 15 mil pessoas pelo BRT, quase a quantidade de usuários que passam em um dia inteiro no Eixo Anhanguera. Inaugurado em 1976, o conhecido “Eixão” liga bairros de leste a oeste da cidade e tem 19 estações nos 13,5 km de extensão. Já a obra Norte-Sul iniciará no Terminal Cruzeiro do Sul e terminará no Recanto do Bosque, na Região Noroeste.

Fonte: O Hoje