Goiânia: Citybus param de rodar e usuários reclamam

A auxiliar de serviços gerais, Maria de Fátima, trabalha em uma empresa na Avenida T-3, em Goiânia. Ela mora no Setor Garavelo, em Aparecida de Goiânia, e todos os dias utiliza o micro-ônibus citybus para ir ao serviço. Ou melhor, utilizava. É que os veículos que fazem as linhas do citybus pararam de circular desde dezembro do ano passado e ainda não voltaram.

Assim como outros usuários, Maria usa o citybus por que o considera mais seguro e, atualmente, tem passado por transtornos diários. “A passagem é mais cara, só que o conforto compensa. Ter que trabalhar no pesado não é fácil e ainda enfrentar agora esses ônibus lotados está muito difícil”, afirma. Como o citybus ainda não voltou a rodar, Maria agora vai para o serviço nos ônibus das linhas convencionais.

De olho para não perder o ônibus que já estava atrasado, Maria conta que levanta cedo todos os dias e a situação que o trabalhador enfrenta no transporte coletivo de Goiânia “é uma vergonha”. “Até mesmo o citybus circulava lotado antes de pararem de rodar. Nós somos clientes também. Estamos pagando. Não poderíamos ser tratados assim”, desabafa.

O estudante Lucas Santos, usuário do citybus, ressalta que “ninguém deixa de trabalhar por causa das férias escolares e é preciso saber se os micro-ônibus vão voltar a circula ou não”. Todas as vezes que começam os períodos de férias escolares, a maioria dos ônibus que alimentam o transporte coletivo – os veículos circulam sempre lotados – somem e deixam os usuários na mão. Alguns passageiros relataram para a reportagem de O Hoje que os intervalos aumentam ainda mais e todos se arriscam ao ficar por muito tempo nos pontos de ônibus. “Dentro dos ônibus já é perigoso. Aqui fora é mais ainda. Corremos risco de sermos assaltados”, conta uma dona de casa que prefere não se identificar.

Em busca de respostas, O Hoje foi em todas as garagens das empresas que administram o citybus e avistou apenas um ônibus na Rápido Araguaia. Procurada pela reportagem para falar sobre o assunto e esclarecer se os micro-ônibus citybus vão voltar a rodar, a Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC) não respondeu aos questionamentos até o fechamento desta edição.

Fonte: O HOJE