DF: Mesmo com aumento revogado, passageiros pagaram preço antigo

A Secretaria de Mobilidade confirmou que a meia-noite os validadores deveriam ser reajustados e as tarifas deveriam retornar aos preços de 2015. Mas, nem todos os passageiros que utilizaram o transporte público a partir da meia-noite pagaram menos.

O governo explicou que em caso de cobrança indevida os passageiros podem ligar para ouvidoria, no número 162 e tentar conseguir o dinheiro de volta. A Secretaria de Mobilidade afirmou que todas as empresas foram orientadas a atualizar o sistema e informar seus funcionários sobre a revogação dos aumentos.

A TV Globo foi até o local após a meia-noite e constatou que a linha para Brazlândia, por exemplo, continuava cobrando a tarifa de R$ 5. Outros haviam modificado a cobrança nos cartões, mas os funcionários não tinham sido orientados.

Alguns cobravam as tarifas com reajuste para quem pagasse em dinheiro. Foi o caso de um ônibus que seguia para o P Sul, em Ceilândia. Questionado se não deveria estar cobrando a passagem a R$ 4, o funcionário respondeu que não sabia. “A partir da meia-noite não, também estou perdido”, disse.

A atendente Maria José diz que para ela a mudança foi uma novidade. “Muito bom, a nossa passagem é muito cara, então reduzir é algo inédito, sempre aumenta, nunca reduz”.

Para o garçom Robério Machado a medida não durará muito. “Seria bom, mas eu acho que não vai ser realidade não, não acredito muito não.” Na próxima terça-feira (24) o Tribunal de Justiça do DF deverá julgar a ação do governo para derrubar o decreto legislativo e manter o aumento das passagens.

Fonte: G1 DF