DF: GDF cancela cartão de transporte para idosos; novo cadastro tenta evitar fraudes

O governo do Distrito Federal cancelou todos os cartões de transporte que davam gratuidade nas passagens de ônibus e metrô aos idosos da capital. Segundo o DFTrans, que gerencia o sistema, pessoas com mais de 65 anos continuam tendo direito ao benefício, mas precisarão de um novo cadastro. De acordo com o órgão, esse recadastramento deve ocorrer ainda no primeiro semestre de 2017.

O governo afirma que pessoas estavam emprestando ou vendendo o cartão, que é intransferível. Dessa forma, quem não deveria ter o benefício estava viajando de graça em todas as linhas da capital.

Agora, com o cancelamento dos cartões, os idosos devem apresentar a identidade para poder embarcar nos ônibus. A diferença, porém, é que eles não mais passarão pelas catracas e terão acesso apenas aos assentos especiais, em menor quantidade e que também atendem grávidas, pais com crianças no colo, deficientes e obesos.

O aposentado José Márcio de Carvalho disse que se sentiu lesado com a mudança. Ele contou que tem dificuldade para achar cadeiras vazias. "Se você vier às seis da tarde [18h], você não consegue [assento]", reclamou.

A presidente da Associação dos Idosos de Taguatinga, Lourdes da Silva Severino, afirma que o governo poderia buscar formas alternativas de evitar fraudes. "Eles têm que estudar outro meio de colocar a foto do idoso, qualquer coisa. Porque o cartão não tem. Só tem nome e o registro. A fiscalização tem que melhora muito", completa.

O secretário de Mobilidade do DF, Fábio Damasceno, afirma que o recadastramento permitirá o reconhecimento facial do usuário. Com isso, se uma pessoa utilizar o cartão de outra, câmeras vão apontar a diferença e cancelar o uso daquele benefício. O sistema, segundo ele, é mais eficaz que aquele baseado na impressão digital.

"O sistema de [impressão] digital tem falhas, principalmente para pessoas mais velhas, que começam a perder a digital. Não são todas as pessoas que têm impressão digital. É mais demorada no embarque e, nesse caso, a pessoa nem vai saber que tem fotos sendo tiradas. Quando passar o cartão, o sistema tira a foto, guarda e vai processar no dia seguinte as informações", explica.

Fonte: G1 DF