DF: CLDF anuncia GT para tratar de custo do transporte público e mobilidade urbana

Um dia após a decisão do Tribunal de Justiça do DF de derrubar o decreto da Câmara Legislativa que impediu o reajuste das tarifas de ônibus, determinado pelo governo local, em até 25%, a Casa anunciou a criação de um grupo de trabalho para tratar das tarifas de transporte público e de mobilidade urbana. A medida foi anunciada após reunião na tarde desta quarta-feira (25) entre o presidente da Casa, Joe Valle (PDT), e os deputados Wasny de Roure (PT) e Cláudio Abrantes (Rede) para discutir os desdobramentos daquela decisão. O procurar geral da CLDF, Arnaldo Siqueira, também participou da reunião com os parlamentares.

Wasny de Roure foi designado coordenador do grupo que vai dar continuidade ao debate sobre o problema do reajuste das passagens de ônibus, considerado "abusivo" pelos distritais. "A Câmara Legislativa tem a responsabilidade de apoiar os movimentos sociais e pretende levar esse debate adiante, ouvindo também os empresários, que em nenhum momento participaram dessa discussão", ressaltou o distrital.

Wasny enfatizou ainda que os distritais precisam ter em mãos as planilhas de custos com os preços atualizados. Ele contestou a alegação do GDF de que não houve aumento das passagens nos últimos dez anos, defendendo que houve uma licitação para a renovação da frota de ônibus e que as empresas não são as mesmas de antes.

De acordo com a decisão do TJDFT, de ontem, o decreto legislativo aprovado pela Câmara Legislativa, suspendendo o reajuste das passagens de ônibus e metrô foi considerado inconstitucional. O GDF anunciou que voltará a cobrar o preço majorado das tarifas na próxima segunda-feira (30).

Câmara protocola estudo contra o reajuste de passagens no MPDFT

O presidente da CLDF, deputado Joe Valle (PDT), protocolou, na tarde desta sexta-feira (27), no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, estudos realizados por técnicos da Câmara Legislativa a respeito do reajuste nas passagens de ônibus proposto pelo GDF. 'Estamos buscando mais alternativa para a população de Brasília ao entregar essa documentação para análise do Ministério Público. Fazemos, mais uma vez, apelo ao governador Rodrigo Rollemberg para que suspenda o reajuste e para que possamos, junto com a população, discutir soluções definitivas para o transporte público da nossa cidade", disse o presidente da Câmara.

Ao receber a documentação, o procurador-geral do MPDFT, Leonardo Bessa, disse que vai anexar a documentação da CLDF ao material que já existe no Ministério Público. Também participaram da entrega o procurador da Câmara, Arnaldo Siqueira, e o promotor de Justiça, Moacyr Filho.

Fonte: CLDF