Goiânia: Passageiros reclamam de piora na lotação e demora de ônibus nas férias

Viação Reunidas - 30120
Há poucas semanas do início das férias, os passageiros que utilizam o transporte coletivo reclamam mais uma vez da novela do transporte público. Trabalhadores e até mesmo estudantes, que também utilizam ônibus neste período, se queixam da lotação e demora.

Anelisa Monteiro de Sousa, 24, utiliza o transporte coletivo para trabalhar em um estabelecimento, localizado no Setor Jaó, em Goiânia. A balconista, que é usuária da linha 258 ̶̶ trajeto Aeroporto, Setor Jaó, Centro ̶̶ , reclama da demora dos ônibus neste período. “Antes eu pegava o ônibus às 8h10 para chegar ao trabalho, agora eu tenho que pegar às 8h50”, diz.

Além do atraso na chegada ao trabalho, a balconista também enfrenta outros problemas ocasionados pela demora do transporte, como a insegurança. “Um motociclista tentou me assaltar no ponto de ônibus enquanto eu esperava, só não levou as minhas coisas porque corri’’, relata.

Outro usuário insatisfeito é o carpinteiro Fernando Souza Soares, 32, que mora em Campinas. No centro da capital, ele tem três linhas disponíveis para o seu trajeto ̶̶ as itinerárias 225, 256 e 280. Apesar das várias opções para chegar a seu destino, Fernando conta que o atraso é inevitável. “Eles (motoristas) passam direto enquanto eu espero. Perdi o 225 agora há pouco e o outro (262) acabou de passar sem o motorista parar”, contou.

Amanda Lima, 19, terminou o ensino médio e faz cursinho pré-vestibular e Enem durante toda a semana. A passageira utiliza as linhas 280 e 004 para ir ao preparatório em horários de pico, e sempre enfrenta a demora do transporte coletivo. Para ela, a lotação dos ônibus é ainda pior, pois deixa o trajeto mais lento e causa desgastes. “Além de demorado, o 280 chega muito cheio, com gente espremida até a porta. É ruim chegar nessas condições”, afirma.

A CMTC nega que houve diminuição dos veículos em circulação. De acordo com ela, durante o período de férias é realizado um ajuste operacional nas planilhas horárias das linhas que atendem as regiões onde estão instaladas escolas, faculdades e universidades, com ajustes de cinco a 20 minutos para mais ou para menos nas viagens.

A companhia sugere que os passageiros entrem em contato em sua sede para reclamações, no endereço 1ª Avenida, 486, no Setor Leste Universitário, ou pelos telefones 0800 646 1851 e pela ouvidoria 3524-1851.

Fonte: O HOJE