DF: Comerciantes condenam aumento de tarifas de ônibus e metrô

Comerciantes condenaram o aumento de passagens anunciado pelo Governo do Distrito Federal. Conforme o secretário de Mobilidade do GDF, Fábio Ney Damasceno, anunciou em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (30), a partir de 2 de janeiro, o primeiro dia útil de 2017, as tarifas de ônibus e metrô sofrerão um aumento de até 25%. O Sindicato do Comércio Varejista do DF (Sindivarejista) emitiu uma nota de repúdio em que afirma que o executivo local escolheu um mal momento para a iniciativa.

No texto, a entidade destaca que representa 30 mil lojas de rua e de shoppings do DF e condena a medida do GDF. O diretor do Sindivarejista, Sebastião Abritta, ressaltou que o reajuste vem em um “momento de crise e recessão”. “Quem vai pagar a conta que já está amarga há tempos?”, questionou. As tarifas de ônibus sobem de R$ 2,25 para R$ 2,50 as linhas circulares internas; de R$ 3 para R$ 3,50 as de ligação curta; e de R$ 4 para R$ 5, as viagens de longa distância e integração e as de metrô. Nesse último caso, o reajuste é de 25%.

O aumento mais recente havia sido dado também no governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), em setembro de 2015, após 10 anos de congelamento. Portanto, este é o segundo reajuste da atual gestão em pouco mais de um ano. Comparado ao preço de janeiro de 2015, quando Rollemberg assumiu o governo, o valor da tarifa mais cara, as de viagens de longa distância, subiu 66%, de R$ 3 para R$ 5.

Fonte: Correio Braziliense