DF: Ato contra a PEC na Esplanada tem ônibus queimado e parada destruída

Manifestantes e policiais militares entraram em confronto na tarde desta terça-feira (13), horas depois da aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que limita os gastos públicos nos próximos 20 anos. Estudantes e ativistas políticos jogaram pedras e paus contra PMs, que reagiram com bombas de gás lacrimogêneo.


A parada de ônibus em frente à Biblioteca Nacional foi depredada, e um contêiner de lixo, incendiado. Prédios públicos foram pichados. Carros de uma concessionária foram quebrados. Pelo menos 40 pessoas foram presas. Entre elas, uma por porte de drogas, duas por portar bolinhas de gude e estilingues e duas por envolvimento nos atos de vandalismo. Sete policiais se feriram durante o ato. Até as 19h não havia balanço de manifestantes machucados.

Manifestantes se dispersaram nas proximidades da rodoviária. Um grupo seguiu na direção do Setor Bancário Norte e montou uma barricada com lixo. Pouco depois, incendiou um ônibus da TCB – que faz transporte até o Aeroporto JK. Vidros do prédio do Banco de Brasília e do Banco do Brasil foram quebrados.

De acordo com a Polícia Militar, ao menos um policial foi ferido. A estimativa da corporação era de que 2 mil pessoas participassem dos protestos às 17h. O número era semelhante ao efetivo deslocado para a operação. Os organizadores do protesto preferiram não falar em números enquanto negociavam a liberação de carros de som.

O trânsito na região, interditado desde as 6h, ficou travado enquanto os manifestantes se dispersavam pela região e vândalos ateavam fogo em contêineres. Policias chegaram a golpear parte deles com cacetes. A cavalaria e o Batalhão de Choque participaram da operação.

Até por vota das 17h30, nove estados e o DF tinham registrado protestos. Em algumas capitais, como São Paulo, Cuiabá e Porto Alegre, ruas foram fechadas. Estudantes, servidores públicos, integrantes de movimentos populares, entre outros grupos, participam dos atos.

Pela manhã, policiais militares detiveram ao menos duas pessoas, além de apreenderem bolinhas de gude, máscaras, estilete, canivete, vinagre e um escudo com a mensagem “+ amor, não à PEC” ao mesmo tempo em que o Senado analisava a proposta. O texto foi aprovado por 53 votos a favor e 16 contra, em uma sessão tumultuada. A promulgação no Congresso Nacional está marcada para as 9h desta quinta-feira (15).

Fonte: G1 DF