Goiânia: Trânsito e mobilidade são desafios da próxima gestão

Com quase 600 mil automóveis e mais de 200 mil motocicletas nas ruas - dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - o trânsito e a mobilidade de Goiânia é um dos grandes desafios do próximo prefeito. Os candidatos que disputam o segundo turno, Iris Rezende (PMDB) e Vanderlan Cardoso (PSB), possuem projetos semelhantes quanto ao assunto.

Em suas propostas, Vanderlan afirma que, se eleito, vai reconstruir a rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) sob os aspectos operacional, institucional e econômico-financeiro e o modelo de tarifa única deve ser repensado. Além disso, o candidato pretende implantar corredores de ônibus exclusivos de acordo com estudos técnicos e dar continuidade às obras do BRT Norte-Sul.

Em seu texto de propostas, Vanderlan também afirma que vai implementar o Plano de Sinalização e Orientação de Tráfego, visando suprir as necessidades básicas de orientação do usuário diante das transformações do cenário urbano dando visibilidade à cidade, definindo o sistema viário estrutural, as rotas de tráfego, as zonas de interesse de tráfego (ZITs), sinalização turística, educativa, de serviços auxiliares e o sistema de orientação (POT).

O candidato do PSB também afirma que pretende implantar a Central de Controle Operacional Integrada, com sistema de monitoramento em tempo real 24 horas por dia, sete dias na semana e desenvolver e implantar o plano de circulação viária, ciclo viária e de pedestres, para estabelecer novos modais de transporte.

Ônibus

Entre as propostas do candidato Iris Rezende para o trânsito e mobilidade está abrir novas linhas de ônibus entre bairros, sem passar pelo Centro da cidade, e exigir das empresas o cumprimento de um serviço com qualidade com renovação da frota de ônibus. O candidato também afirma que vai estabelecer política de estacionamentos que contribua para o gerenciamento da mobilidade e terminar a Avenida Leste-Oeste.

Para melhorar o trânsito Iris pretende construir novos viadutos e desafogar o trânsito nas principais vias de Goiânia. Para isso, se eleito, determinará a construção do viaduto sobre a Avenida 136 com a Marginal Botafogo e nova ligação entre a Avenida Milão com a BR-060, desafogando o trânsito nos setores Eldorado Granville, Celina Park e região, entre outras intervenções.

Ciclovia também está na pauta dos candidatos

A mobilidade urbana é uma das maiores frentes da gestão do atual prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT). Atualmente, a Capital tem 72 quilômetros de trechos cicloviários entregues. Até o final de seu mandato, Garcia pretende entregar 102 quilômetros dedicados aos ciclistas. A implantação de corredores exclusivos para ônibus é um dos desafios para a mobilidade, principalmente quanto à aceitação da população.

Em entrevista concedida ao O HOJE em maio, quando foi divulgada a intenção de transformar a faixa da direita da Avenida 24 de outubro em corredor exclusivo para ônibus, a professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Goiás (UFG) e coordenadora do programa de pós-graduação Projeto e Cidade da instituição, Erika Kneib, lembrou que estabelecer corredores exclusivos para ônibus é uma questão legal. “A prioridade do transporte coletivo em relação ao individual está prevista no Plano Diretor da nossa cidade. Se descumprir, o prefeito comete crime de responsabilidade”, disse a especialista.

Fonte: O Hoje