Goiânia: Projeto Gelateratura é lançado no Terminal Isidória

O projeto Gelateratura nos Terminais foi lançado ontem (19) no Terminal Isidória, em Goiânia. A ação é promovida pelo RedeMob Consórcio e Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) em parceria com o Grupo Gepetto, idealizador do Gelateratura. A iniciativa consiste na disponibilização de livros de diversos gêneros e autores, inclusive goianos, para que a população possa ler dentro ou fora dos terminais. Os exemplares ofertados foram doados por parceiros.

A sugestão é que as pessoas peguem os livros e devolvam após a leitura para que outros também possam usufruir. Ainda há a possibilidade de fazer a troca por outra obra que a pessoa já tenha ou simplesmente doar. O intuito é incentivar a cultura colaborativa e proporcionar aos clientes do transporte coletivo a comodidade de ter acesso à literatura sem sair do seu trajeto habitual.

De acordo com o diretor de transportes do RedeMob Consórcio, Cézane Siqueira, toda a equipe do terminal está trabalhando para apoiar o sucesso da iniciativa. A partir do lançamento da primeira geladeira os resultados serão avaliados e a ideia é estender para os outros 20 terminais da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC). “A Gelateratura proporciona ao nosso cliente uma oportunidade de interagir com a cultura e transforma os terminais em uma área de convivência”.

Segundo o diretor técnico da CMTC, Sávio Afonso, além desta, outras ações culturais estão sendo promovidas nos terminais da RMTC, como o “Cantando para Goiânia: Humanização dos Terminais”, que leva música aos terminais. “Esta geladeira é a primeira de uma série que queremos instalar nos terminais, além do coral formado por funcionários da prefeitura que já tem um roteiro prévio de apresentações”.

Davi Oliveira, um dos idealizadores do Gelateratura, diz que a geladeira do Terminal Isidória é a 25ª instalada em Goiânia e a intenção é distribuir mais. “O projeto tem dado muito resultado e já vamos instalar a próxima em uma maternidade. Apadrinhamos uma pessoa do espaço que recebe e sempre verificamos como está a circulação dos livros.” A meta dos idealizadores desta ação cultural é ter geladeiras em todos os bairros da cidade.

Para a presidente da Academia Goiana de Letras, Lêda Selma, que também acompanhou o lançamento do projeto, a iniciativa é belíssima e a interação com a comunidade sempre foi um desejo da entidade. “A gente costuma dizer que o brasileiro não gosta de ler, mas muitas vezes não facilitamos o acesso aos livros, eu acredito que quando possibilitamos isso ele vem e lê”. Ela acrescentou ainda que esta é uma oportunidade para valorizar os escritores goianos.

Quem aprovou a iniciativa foi Josiana de Moura, de 41 anos, que estava no terminal aguardando para embarcar. “Eu achei ótimo, maravilhoso. Quando a gente lê os horizontes se ampliam e esse conhecimento vai me servir futuramente, acredito que as pessoas vão gostar muito desta novidade”.

Fonte: RedeMob Consórcio