Goiânia: Projeto Gelateratura chega aos terminais de ônibus da capital

O fantástico e multicultural universo dos livros ganha um espaço especial nos terminais de integração do transporte coletivo da região metropolitana de Goiânia. A partir desta quarta-feira, 19, o projeto Gelateratura estará no Terminal Isidória, em Goiânia, emprestando livros para quem passar pelo local.

A ação será lançada às 9 horas com a presença de escritores goianos e do Coral Vozes de Goiânia, formado por servidores da Prefeitura de Goiânia e que compõe o projeto Cantando para Goiânia: Humanização dos Terminais. O evento terá as presenças da presidente da Academia Goiana de Letras (AGL), Lêda Selma e o escritor Cristiano Deveras, que vão autografar livros e apresentar dicas literárias.

Cristiano Deveras vai disponibilizar exemplares dos seus livros 'Jantar às 11 horas' e 'O Etéreo ser de Carbono'. Um dos apoiadores do projeto, ele afirma que quando se abrem novos espaços para a literatura na cidade, a cultura e a educação saem fortalecidas.

Com a chegada da Gelateratura, os livros poderão ser retirados gratuitamente para leitura dentro e fora do terminal.Após ler, o cidadão pode devolver o exemplar em um dos pontos de apoio nos terminais de ônibus. O projeto literário é promovido pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) e RedeMob Consórcio em parceria com a Oficina Cultural Geppetto, idealizadora da Gelateratura.

A Gelateratura nos terminais também tem o apoio da Prefeitura de Goiânia, da Secretaria Municipal de Cultura, da AGL, da União Brasileira dos Escritores – Seção Goiás (UBE), das empresas concessionárias que operam o transporte coletivo – Rápido Araguaia, HP Transportes, Reunidas, Cootego e Metrobus.

O presidente da CMTC, Murilo Guimarães Ulhôa, diz que o objetivo é espalhar cultura pelos terminais de ônibus da cidade e tornar o cotidiano dos cidadãos que utilizam o transporte coletivo mais descontraído.

De acordo com o diretor executivo do RedeMob Consórcio, Leomar Avelino, a Gelateratura também quer incentivar a cidadania e a cultura colaborativa, abrindo espaços para que a população faça doações de novos livros. Todos os livros disponibilizados foram doados pelos parceiros e sociedade. 'Acreditamos na arte como forma de aproximar as pessoas e queremos promover ações como essa que desenvolvam o sentimento de pertencimento com relação aos terminais e que estes se transformem em espaços de compartilhamento e de troca', afirma.

Os exemplares ficarão disponíveis na geladeira, abrindo espaços para que a população também faça doações de novos livros. Um dos responsáveis pelo projeto, o diretor técnico da CMTC, Sávio Afonso, explica que os projetos culturais estão gerando reflexos positivos no dia a dia dos usuários do transporte coletivo e serão ampliados.

A Gelateratura, que se inicia pelo Terminal Isidória, também será levado para os demais 20 terminais de integração da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos. “Queremos que essa atividade literária atinja aos usuários de toda a rede, criando uma onda cultural e colaborativa nas 18 cidades atendidas pelo transporte coletivo na região metropolitana”.

Segundo ele, a adesão dos usuários do transporte coletivo será determinante para o sucesso da Gelateratura. “O usuário será beneficiado, mas também será o dono da geladeira e dos livros. O zelo e a movimentação dos livros, seja por empréstimos ou doações, serão realizados pelas pessoas. Só lançamos a ideia, agora os donos do projeto são a população”.

Outra atividade que tem conquistado os usuários do transporte coletivo é o Cantando Para Goiânia, que leva música para os terminais de ônibus. A primeira apresentação do Coral Vozes de Goiânia aconteceu no dia 12 de agosto, no Terminal das Bandeiras, em homenagem ao Dia dos Pais.

As duas ações integram o projeto Cultura em Movimento, que é promovido pela CMTC e RedeMob Consórcio para levar atividades contínuas nos terminais de ônibus envolvendo as sete artes.

Fonte: Prefeitura de Goiânia