DF: Incêndio que atingiu garagem do Grupo Amaral foi intencional, diz laudo

O incêndio que destruiu 200 ônibus na garagem de ônibus do grupo Amaral foi intencional, aponta perícia realizada pelo Corpo de Bombeiros e pela Polícia Civil do Distrito Federal. De acordo com o laudo, as chamas começaram no pátio interno, próximo ao galpão, quando atingiram quatro veículos, em 4 de junho deste ano, no Paranoá.

De acordo com os bombeiros, não é possível concluir até o momento quem iniciou as chamas, nem o que foi usado para atear fogo. A Polícia Civil busca elucidar o caso e verificar se o incêndio foi criminoso. No dia, foram encontrados pneus e pedaços de madeira próximos ao ponto da origem das chamas.

Os veículos pertenciam à empresa Viva Brasília, que atuou no sistema de transporte público até a última licitação, ocorrida a partir de 2011. Os carros estavam sob a guarda do DFTrans desde 2013 a fim de pagar dívidas trabalhistas e com fornecedores da empresa, segundo o ex-senador Valmir Amaral – herdeiro do grupo Amaral.

A Viva Brasília é uma das empresa de Amaral, que atuou no transporte público do Distrito Federal durante 40 anos. Em março, o grupo teve a falência decretada. A Justiça mandou bloquear contas bancárias e veículos das empresas.

O G1 não conseguiu contato com o ex-senador. À época do incêndio, ele atribuiu parte da culpa ao governo. “A administração das garagens está com o GDF, a responsabilidade pelo lugar, pela segurança dos ônibus, tudo é do GDF. Desde que foi feita a intervenção, a administração é deles. É má administração. A gente está aguardando o processo judicial que está correndo. E nós vamos informar a Justiça sobre esse prejuízo, que será maior para o GDF”, disse Amaral então.

Fonte: G1 DF