Goiânia: Greve dos motoristas está confirmada para esta segunda (15)

Motoristas do transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia entrarão em greve na próxima segunda-feira, dia 15. A informação é do Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Goiás (Sindittransporte), Alberto Magno Borges. A decisão foi tomada após não haver acordo com as empresas de transporte, em assembleia geral realizada no último domingo (07). A decisão pode afetar 600 mil embarques por dia.

Os funcionários reivindicam um reajuste de 11,08% linear e retroativo a março, incluindo o salário, gratificação suplementar e ticket alimentação. No entanto, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (Setransp) ofereceu aos motoristas um reajuste de apenas 5,5% retroativo, alegando enfrentar problemas financeiros devido à crise e à queda de 11% do número de passageiros.

A oferta de um reajuste bem abaixo do solicitado pelos motoristas inviabilizou as negociações, o que gerou o anúncio da greve para a próxima segunda. Para o Presidente do Sindittransporte, Alberto Magno, a decisão tomada na assembleia foi necessária e representa o desejo dos mais de 190 motoristas que estavam presentes. “A gente faz essa reivindicação há muito tempo, mas as empresas nunca avançaram nas negociações, tivemos que decretar a greve”, informa.

Negociações

Ainda segundo Alberto, a greve seguirá por tempo indeterminado até que as empresas se posicionem e negociem. “Apesar do decreto, estamos abertos para negociações e queremos que tudo se resolva o mais rápido possível”, diz. Caso surja alguma manifestação das empresas ou algum ponto novo a ser discutido, é provável que a categoria seja convocada para nova assembleia ainda neste final de semana.

De acordo com informações da assessoria do Setransp, todos os esforços estão sendo feitos para evitar a greve e não prejudicar a população. A assessoria ainda informou que reuniões estão sendo feitas a todo o momento para chegar a negociações e que ainda restam mais alguns dias até o final da semana para resolver a situação.

O Ministério Público do Estado de Goiás já foi notificado sobre a greve e deverá estabelecer contato com as empresas e os motoristas para chegar a uma porcentagem do quantitativo de ônibus que continuará em operação durante a greve.

Última Greve

O ano de 2013 foi bem conturbado para motoristas e passageiros do transporte coletivo de Goiânia e Região Metropolitana. Os funcionários decidiram pela greve devido ao mesmo motivo que agora impulsiona a paralisação para a próxima segunda: o reajuste salarial. A categoria informou na época que não foi consultada sobre o reajuste anunciado pelas empresas e que o valor não atendia às solicitações dos trabalhadores.

Com a greve, manifestações de passageiros foram realizadas em vários terminais. Os pontos de ônibus ficaram cheios de usuários que reclamaram muito da má qualidade do transporte público goiano. Na época, a Justiça do Trabalho havia determinado que 70% da frota deveria operar nos horários de pico, no entanto, a medida não foi cumprida totalmente, afetando a mobilidade da população.

Fonte: O Hoje