DF: Rodoviários de cooperativa cobram pagamento de salários

Funcionários da Cootarde – cooperativa que faz percursos entre as regiões administrativas de Ceilândia e Taguatinga, no Distrito Federal – deram início a uma paralisação nesta terça-feira (16), no terminal de ônibus do Setor O, em Ceilândia. A categoria diz protestar contra o atraso de 11 dias no pagamento dos salários.

Segundo a empresa, os pagamentos foram realizados no prazo e a reivindicação do grupo é, na verdade, de equiparação salarial com os rodoviários das empresas de ônibus que atendem as bacias do DF.

A paralisação de cerca de 50 rodoviários começou às 11h desta terça e ainda não havia terminado até as 14h30. A Cootarde paga R$ 1,6 mil aos motoristas e R$ 1,3 mil aos cobradores, incluindo benefícios como vale alimentação e cesta básica.

O G1 procurou o DFTrans para confirmar se os repasses foram feitos, mas a companhia não respondeu até a publicação desta reportagem. Os rodoviários da Cootarde já tinham paralisado o serviço em julho para cobrar o pagamento da cesta básica, de R$ 193,53.

Segundo a empresa, os rodoviários reivindicam a equiparação aos salários de R$ 2.121 e R$ 1.108 recebidos por motoristas e cobradores das maiores empresas de ônibus do DF, respectivamente. Os rodoviários destas empresas ainda recebem tíquete de R$ 660.

Segundo o diretor institucional da Cootarde, Davino Cavalcante, o sindicato da categoria pressiona a empresa para conseguir o reajuste salarial. "Eles querem receber um valor de quase o dobro do que já recebem. E isso não tem condição", diz.

Fonte: G1 DF