DF: Metroviários pedem abono do ponto para encerrar greve

O fim da maior greve da história dos metroviários no DF — que completou 62 dias nesta segunda-feira (15/8) — esbarrou em um impasse que pode chegar ao fim na quarta-feira (17), quando a categoria se reunirá em audiência no Tribunal Superior do Trabalho (TST). O diretor jurídico do Sindicato dos Metroviários do DF (Sindmetrô), Júlio César Lima de Oliveira, diz que, para os servidores voltarem aos seus postos, só falta o governo atender uma última exigência: abonar os dias em que os funcionários cruzaram os braços.

“Todas as vezes em que o presidente do Metrô ou o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) aparecem na imprensa, eles falam que o pleitos dos metroviários são legítimos. E, agora, querem computar a greve para os trabalhadores?”, queixou-se Júlio César Lima.

O dirigente explicou que o governo sinalizou que concordará com três reivindicações da categoria. O Metrô-DF apontou que cancelará a terceirização irregular da bilheteria por meio de um convênio com o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans). Uma perícia será montada para avaliar as condições de trabalho dos servidores para, assim, adaptar o sistema conforme às normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho e do Emprego.

Além disso, o governo consentiu em firmar um acordo de recomposição inflacionária. A contratação dos concursados no certame de 2013, contudo, ainda é discutida. Diretor do Sindmetrô, Ronaldo Amorim salientou que o GDF fechou acordo para admitir servidores, respeitando os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Contudo, a categoria pressiona o governo para que o Metrô-DF reverta as despesas acumuladas em mais contratações.

Fonte: Portal Metrópoles