Viação Reunidas - Superando desafios há mais de 40 anos

Por Rafael Martins

A história da Viação Reunidas funde-se à história do transporte coletivo de Goiânia. Entre as décadas de 1940 à 1970 o principal meio de transporte na Capital era a bicicleta. O transporte de trem entre Goiânia e Campinas nunca foi usado como transporte coletivo.

A incrementação do sistema de transporte urbano em Goiânia iniciou-se a partir da década de 1970. Até então a população goianiense enfrentava sérios problemas de transporte como: distância, condições climáticas, pavimentação, frota viária escassa, violência e banditismo.

Em 1969 foi efetuada a primeira licitação de linhas, quando entram a Viação Araguarina (que posteriormente transferiu sua concessão para a Rápido Araguaia no transporte metropolitano); HP Auto Peças (atual HP Transportes); Viação Santa Luzia (atual Viação Reunidas) e a Viação Jussara.

Em meados da década de 1970 a população do município de Goiânia já era de 533.000 habitantes, época em que havia o desejo e a necessidade de ampliação do sistema para o deslocamento da população. Já havia então, 55 linhas de ônibus e quatro empresas.

Devido o aumento da população de Goiânia, o serviço de transporte coletivo realizado pelas citadas viações já não era satisfatório e diante de tais insuficiências foi criado o Sistema Integrado de Transporte Urbano em 10/11/1975 pela lei Nº 7.975, decretada pela Assembléia Legislativa do Estado de Goiás. 

Irapuã Costa Júnior junto com a prefeitura de Goiânia criou uma empresa estatal para gerenciar e operar parte do transporte da cidade, mas foi o Governo Federal que resolveu, em consonância com o Governo Estadual, criar a Empresa Transurb, que passou a ser gestora e operadora do poder concedente do transporte coletivo urbano de Goiânia.

A Reunidas foi fundada em 17 de janeiro de 1973, data do arquivamento de seu contrato social, tendo como objetivo inicial, o transporte coletivo urbano de passageiros, objetivo este que se manteve inalterado ao longo de sua história.


Em 2007 venceu a licitação do transporte metropolitano, e conquista o direito de concessão para trabalhar na região Oeste-Noroeste de Goiânia com 75% da frota zero-km. 

Com 150 ônibus na sua frota, a Reunidas circula em 88 linhas por 280 bairros, em operação compartilhada com a Rápido Araguaia. Toda sua frota têm câmeras de segurança, o que contribuiu para a redução dos índices de evasão de receita e de significativa redução nos índices de violência. Todas as imagens geradas são repassadas para a Central de Segurança da RedeMob Consórcio.

Desde 2014, a Reunidas vem passando por um processo de reestruturação contando com total apoio do SET. Atualmente o SIAN (Serviços Integrados de Apoio a Negócios) atua na empresa na gestão de processos e apoio ao negócio.

Os desafios da Viação Reunidas, desde a crise no setor de transportes em 2013, são recuperar sua saúde financeira, reestruturar seus processos e automatizá-los e prover um serviço de melhor qualidade aos usuários da RMTC, em especial ao arco oeste-noroeste.

Infraestrutura

A garagem da empresa tem cerca de 15.000 m², com abrangente área verde, onde fica também a sede administrativa.


Inicialmente, quando um ônibus está fora de operação e chega à garagem, ele passa por uma vistoria inicial (interna e externa) e paralelamente têm os dados da operação transferidos para uma central de dados. 

Caso haja alguma avaria, o veículo é enviado para a lanternagem ou qualquer outro setor responsável onde encontra-se a avaria.


Todos os tanques de abastecimento são externos, já que se for detectada alguma avaria no mesmo, a solução é rápida com impactos ambientais mínimos.


A responsabilidade ambiental é presente na garagem. Toda a água utilizada nas lavagens dos ônibus (interna e externa) caem nas calhas que vão para os recicladores de água, e após tratada está pronta para ser reutilizada.



O setor de lanternagem não só conserta as pequenas avarias diárias, como também recupera todos os veículos que sofrem danos mais graves.



Falando em reforma de ônibus... detalhe para a impecabilidade de um veículo ano 2006.





... e da frota adquirida em 2008



A manutenção de toda a frota da Reunidas feita de duas formas:

- a primeira, diária, preventiva e corretiva, quando os veículos estão fora de escala e não compõem a frota reserva de terminal.

- a segunda é a periódica, ou seja, é uma manutenção mais profunda em que faz-se um check-up total do ônibus, e isto exige que o veículo fique fora de operação por um dia. Caso não sejam encontrados problemas, o veículo é lavado, abastecido e pronto para a operação.

A manutenção engloba a revisão da parte mecânica, elétrica, borracharia e lanternagem.






Graças a manutenção da frota, aliado ao cumprimento das escalas dos motoristas; o ICV (Índice de Cumprimento de Viagens) da Viação Reunidas é superior a 99% (contanto as casas decimais).


Frota desativada

Parte da frota adquirida da Viação Paraúna, que era cessionária da Reunidas, encontra-se atualmente desativada e à venda. Isto reflete nos processos de modernização e atualização da frota atual.





Esta é a primeira reportagem de uma série sobre as empresas de ônibus que compõe a RMTC. A primeira foi a HP Transportes, feita em março de 2015. Em breve, uma segunda reportagem ainda sobre a Viação Reunidas. Aguardem!!!