Goiânia: Usuários reclamam de novas regras para ter meia passagem no Eixo

Os passageiros do transporte coletivo que atualmente pagam meia passagem no Eixo Anhanguera na Grande Goiânia reclamam das novas regras para ter direito ao benefício. A partir de agosto, para ter direito ao desconto os usuários precisam fazer um novo cadastro para ter direito ao Cartão Metrobus. Quem recebe outros auxílios, como o vale-transporte e passe escolar, não poderá se cadastrar no novo sistema. A quantidade de viagens ficará limitada a 120 por mês.

A recepcionista Tatiane Ivo Nery afirma que afirma que recebe 52 passagens de R$ 3,70 por mês, que são depositadas no Cartão Fácil. Ela conta que não usa tudo porque embarca no Eixo Anhanguera pagando meia e, por tanto, tem uma quantia que sobra. Tatiane reclama que com a nova regra ela perde o direito à meia passagem. “Sobra no caso uma viagem de eixo que sobrava na minha carteirinha e esse dinheiro você podia fazer alguma coisa, você podia vender”, disse.

Segundo o superintendente de Juventude de Goiás, Leonardo Felipe, o objetivo da nova regra é fazer com que a meia passagem na linha de ônibus tenha caráter de programa social e abranja um grupo específico.

“É necessário e essencial apesar de ser, em um primeiro momento, incômoda. É necessária porque o estado precisa normatizar o benefício porque é um programa social e ele precisa estar destinado a uma finalidade. Além, claro, da questão relacionada às normas do benefício, passa também por uma questão de controle das duplicidades e também do controle de fraudes que ocorrem”, afirmou.

A operadora de caixa Leilse da Silvam, que recebe o vale transporte da empresa e utiliza o Eixo Anhanguera diariamente, não concorda com a nova regra. “Isso é injusto porque a empresa está depositando pra mim este valor, eu faço dele o que eu quiser”, desabafou.

Leonardo Felipe esclarece que quem utiliza o passe livre garantido por lei não será afetado. “O estudante, o idoso, a criança e o portador de necessidades especiais, eles já possuem um benefício garantido por lei, então ele tem um cartão próprio. Essas pessoas não precisam fazer o cadastro no Cartão Metrobus porque eles já têm o que garante a gratuidade”, ressalta.

Cartão

O passageiro tem que fazer um cartão especial de embarque, que será chamado Cartão Metrobus. Quem não tiver, terá que pagar o valor inteiro, de R$ 3,70. O cadastro começa em até duas semanas e os interessados podem fazer acessar o site da Metrobus ou procurar uma agência do Vapt Vupt.

Atualmente, quem tem direito à meia passagem paga R$ 1,85 por viagem. A mudança não agradou os usuários. Alguns passageiros dizem que a mudança não foi discutida com a sociedade, pois pode aumentar o custo para os usuários. Além disso, dificulta o acesso dos passageiros ao benefício.

Fonte: G1 GO