Goiânia: Metrobus não é responsável por orçamentos inerentes a outros órgãos

Ainda sobre a decisão da Guarda Civil Metropolitana em descontinuar o projeto Eixo+Seguro, a Metrobus reforça que tem todo um compromisso operacional para colocar os ônibus em funcionamento todos os dias e portanto, não tem condições de assumir orçamentos inerentes e de responsabilidade de outros órgãos.

Enquanto empresa de Transporte Coletivo, fizemos o possível dentro das nossas condições para melhorar a segurança ao longo do Eixo Anhanguera. Entretanto, o trabalho da Guarda Civil e de outras autoridades responsáveis por tal demanda na região Metropolitana, inclusive no Eixo, não é de responsabilidade da Metrobus.

Ao que nos cabe e é de nossa responsabilidade enquanto empresa de Transporte Coletivo, seguimos com vigilantes em todas as plataformas e terminais, bem como com o serviço de videomonitoramento feito através do Centro Integrado de Inteligência Comando e Controle da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), no Setor Aeroviário, onde há comunicação direta de ocorrências ao longo do Eixo Anhanguera. Além disso, o programa da Polícia Militar, "Terminal Seguro", também continua na região.

ASCOM/Metrobus