DF: Em caso de greve, apenas metade dos ônibus deve circular nos dias úteis

Se os rodoviários realmente entrarem em greve, terão que operar com 50% dos ônibus em horário de pico e com 30% nos demais períodos. A determinação é do presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), desembargador Pedro Luís Vicentin Foltran, que reconsiderou a liminar proferida por ele próprio há dois dias. Em caso de descumprimento, haverá multa de R$ 100 mil por dia. A categoria promete cruzar os braços entre domingo (3/7) e segunda-feira (4/2) caso não receba aumento.

Da frota de ônibus que vai para as ruas normalmente, apenas 50% deverá rodar das 5h às 9h30; das 11h às 13h e das 15h às 19h30. No resto do dia e aos sábados, domingos e feriados, apenas 30% dos veículos deverão circular.

Na nova liminar, o magistrado decidiu ainda que a responsabilidade pela operacionalização do sistema, no período de greve, deverá ser compartilhada entre o Sindicato dos Rodoviários (SITTRATER-DF), o Governo do Distrito Federal (GDF) – por meio do DFTrans e das empresas de que suscitaram o dissídio coletivo de greve. São elas: Viação Piracicabana Ltda., Viação Pioneira Ltda., Auto Viação Marechal Ltda. e Urbi Mobilidade Urbana. Se a determinação for descumprida, haverá multa de R$ 100 mil por dia.

Liminar anterior

Na liminar do dia 29 de junho, em atendimento ao pedido das empresas, o presidente do Tribunal havia determinado que 80% dos ônibus circulassem no DF nos horários de pico, e 30% nos demais horários, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia de descumprimento.

Impasse nas negociações

A audiência realizada nesta sexta-feira (1º/7) entre representantes de empresas de ônibus do DF, Sindicato dos Rodoviários e GDF terminou sem acordo com relação ao reajuste de cerca de 20% pleiteado pela categoria.

Fonte: Correio Braziliense