Goiânia: Assaltantes continuam agindo e ameaçando vítimas dentro de terminais da capital

“Ai meu Deus! Ajuda! Acabei de ser roubada aqui, pelo amor de Deus!” Os gritos, ouvidos pela repórter, são de Joana Pereira, 65 anos, desesperada depois que a carteira do marido, Benedito Gomes, 52 anos, foi roubada enquanto entravam em um ônibus do Eixo Anhanguera, no terminal Praça A. Joana grita enquanto lembra que na carteira estavam os 700 reais da aposentadoria. Por sorte, como o próprio guarda civil metropolitano Marlem Ferreira disse, foi possível recuperar a carteira com toda a quantia. O suspeito não foi alcançado e deixou o objeto para trás, dentro do transporte, para não ser pego em flagrante, segundo Marlem.

Ao mesmo tempo, de forma tímida, Sebastião Antônio, de 80 anos, chega aos guardas informando que acaba de ter a carteira subtraída enquanto entrava no ônibus. “Esses roubos são bem constantes”, disse o guarda.

Os usuários e funcionários já estão acostumados a ver a situação. Em alguns casos, como no da estudante Edineia Melo, os ladrões, sempre nos mesmos locais, ameaçam as vítimas, inibindo a presença delas nos terminais.

Alguns relatam que a maior parte dos furtos é feita por um grupo chamado de “Turma da Lazinha”. O ambulante Josivan Rocha, 34 anos, há 18 anos no terminal, discorda e afirma que não se trata de um grupo específico. O delegado Cleiton Manoel, do 5º DP, explicou que ouve-se falar na “Turma da Lazinha” há anos, mas que nunca foi identificado um grupo específico.

Governo culpa pouco tempo de detenção

A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) informou que possui ações permanentes em benefício dos usuários do transporte, mas que os suspeitos de furtos e roubos em terminais e ônibus “são soltos no curto prazo, por conta das audiências de custódia”.

O assessor de imprensa da Polícia Militar, o tenente-coronel Ricardo Mendes, voltou a informar que a polícia possui duas ações voltadas ao transporte público, uma fazendo a segurança de usuários nas linhas alimentadoras e outra onde uma viatura fica responsável pelos terminais e suas respectivas imediações

A Metrobus, estatal responsável pelo Eixo Anhanguera, informou que foram contratados vigilantes em todos os terminais e em todas as plataformas do eixo, além do reforço dado pela Guarda Civil Metropolitana (GCM).

Vítima conta que secretaria pediu para não falar com a imprensa

A estudante de Fisioterapia Edineia Melo, 37 anos, foi buscar respostas na Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), no último dia 20, depois de ser furtada três vezes no Eixo Anhanguera. No último dia 1º, sofreu tentativa de assalto e foi novamente à secretaria pedir por mais segurança e lá informou que entraria em contato com a imprensa. “Depois eles me ligaram aconselhando a não ir à mídia, não mostrar meu rosto, tomar cuidado com o que eu ia falar”, disse.

A SSPAP enviou nota com as respostas solicitadas, exceto sobre o conselho dado a Edineia.

Fonte: O Popular